Global biogeography of Acantheae and taxonomic revision of Stenandrium Nees (Acanthaceae) in Brazil

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorProença, Carolyn Elinore Barnes-
Autor(es): dc.creatorZanatta, Maria Rosa Vargas-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T18:47:20Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T18:47:20Z-
Data de envio: dc.date.issued2020-07-01-
Data de envio: dc.date.issued2020-07-01-
Data de envio: dc.date.issued2019-12-19-
Fonte completa do material: dc.identifierhttps://repositorio.unb.br/handle/10482/38653-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/639975-
Descrição: dc.descriptionTese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Botânica, Programa de Pós-Graduação em Botânica, 2019.-
Descrição: dc.descriptionAcanthaceae é uma família ecologicamente importante nos ecossistemas tropicais. Possui alta diversidade funcional de flores e polinizadores generalistas e especialistas, incluindo abelhas, beija-flores, mariposas, morcegos e borboletas. Acantheae, a segunda maior tribo da família, apresenta padrões biogeográficos intrigantes que foram pouco explorados. Stenandrium Nees é um gênero pouco conhecido e taxonomicamente complexo de Acantheae, com altos níveis de endemismos no Neotrópico. Nós reconstruímos a história biogeográfica global de Acantheae, com uma filogenia molecular atualizada e datada dos principais gêneros da tribo. Contribuições para a taxonomia de Stenandrium são fornecidas, incluindo a descrição de duas novas espécies e uma revisão das espécies brasileiras, que formam um grupo monofilético de espécies. Nossos resultados indicam que alguns eventos e fatores influenciaram a diversificação da tribo ao longo do tempo. A maior diversificação de Acantheae foi na "Era das Ervas", no Mioceno tardio. Alguns eventos de dispersão a longa-distância foram cruciais para a diversificação da tribo, principalmente um a partir da África para a América, no Eoceno-Oligoceno. Encontramos fortes evidências que o surgimento dos beija-flores impulsionou a diversificação de gêneros do clado Aphelandra. Finalmente, devido aos intrigantes padrões biogeográficos e de diversidade, à beleza, à raridade e às propriedades medicinais potenciais dessa família, devemos concluir enfatizando a necessidade de pesquisas tanto básicas quanto avançadas com essas plantas.-
Descrição: dc.descriptionCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)-
Descrição: dc.descriptionAcanthaceae is an ecologically important family in tropical ecosystems. With high functional diversity of flowers, it has both generalist and specialist pollinators, including bees, hummingbirds, moths, bats and butterflies. Acantheae, the second largest tribe in the family, shows intriguing and unexplored biogeographic patterns. Stenandrium Nees is a poorly known and taxonomically complex genus of Acantheae, with high levels of endemism within the Neotropics. We reconstructed the global biogeographical history of Acantheae, using an updated dated molecular phylogeny of the main genera in the tribe. Contributions to the taxonomy of Stenandrium are provided herein, including a revision of the Brazilian species, which apparently form a monophyletic group of species. We also describe and illustrate two new species from a region of high endemism in southeastern Brazil. Our results indicate that certain events and factors influenced the diversification of the tribe along time. The greatest diversification of Acantheae was at the “Age of the Herbs”, in late Miocene (11.6-5.3 Mya). Some long-distance dispersion events were crucial for the tribe’s diversification, especially from Africa to the Americas at the Eocene-Oligocene, 33.6 Mya. We found strong evidence that the emergence of hummingbirds boosted the diversification of genera in the Aphelandra clade. Finally, due to the intriguing biogeographic and diversity patterns, the beauty, the rarity, and the potential medicinal properties of this family, we must conclude by emphasizing the necessity of either basic or advanced research with these plants.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.-
Palavras-chave: dc.subjectLamiales-
Palavras-chave: dc.subjectfilogenia molecular-
Palavras-chave: dc.subjectaxonomia-
Palavras-chave: dc.subjectespécies novas-
Palavras-chave: dc.subjectNeotrópico-
Título: dc.titleGlobal biogeography of Acantheae and taxonomic revision of Stenandrium Nees (Acanthaceae) in Brazil-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.