Deficiência mental : violência sexual e aborto legal

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorDiniz, Debora-
Autor(es): dc.contributorDrezett, Jefferson-
Autor(es): dc.creatorSantos, Lina Vilela-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T18:45:31Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T18:45:31Z-
Data de envio: dc.date.issued2016-02-11-
Data de envio: dc.date.issued2016-02-11-
Data de envio: dc.date.issued2016-02-11-
Data de envio: dc.date.issued2015-09-16-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/19472-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://dx.doi.org/10.26512/2015.09.D.19472-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/639282-
Descrição: dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2015.-
Descrição: dc.descriptionEsse estudo analisou prontuários de mulheres com deficiência mental que sofreram violência sexual e fizeram um aborto legal no período de um ano, entre 2012 e 2013 no Hospital Pérola Byington – São Paulo, totalizando treze prontuários. Foi realizada uma pesquisa qualitativa documental e descritiva de caráter local com dados encontrados em documentos dos prontuários de mulheres com deficiência mental vítimas de violência, como termos e autorizações legais necessários para a realização do aborto legal, boletins de ocorrência policial e relatórios psicossociais. Foram analisados registros da equipe de saúde referentes à gravidez e ao aborto legal, como os procedimentos utilizados para a realização da interrupção da gestação, tempo de internação e idade gestacional. Foram analisados também aspectos relacionados à violência sexual sofrida pelas mulheres com deficiência mental, os seus agressores, o local e frequência da violência. As mulheres violentadas eram pobres e jovens e, em relação ao aborto legal, apresentaram uma idade gestacional próxima do limite de semanas previsto em lei. Os procedimentos para indução utilizados foram o misoprostol em nove casos e AMIU em quatro casos, com um período de internação com média de três dias. A decisão em relação ao aborto legal foi tomada pelas responsáveis legais pelas mulheres com deficiência mental. As pessoas responsáveis por essas mulheres e seus cuidados eram também mulheres, evidenciando uma questão da naturalização do cuidado como uma tarefa privada e feminina. Percebe-se, assim, a necessidade do aumento de investimentos em iniciativas protetivas e em pesquisas na área de violência sexual e deficiência mental.-
Descrição: dc.descriptionThis study analyzed the medical records of women with mental disabilities who have suffered sexual violence and made a legal abortion within one year, between 2012 and 2013 in the Perola Byington Hospital - São Paulo, totaling thirteen records. A qualitative and descriptive research was conducted with local data found in health records of mentally disabled women victims of violence, such as legal authorizations required for having a legal abortion, police reports and psychosocial reports.Records from the health team related to pregnancy and legal abortion were analyzed, such as the procedures used to perform the interruption of pregnancy, length of stay and gestational age. Aspects related to sexual violence suffered by women with mental disabilities were also analyzed, such as the profile of perpetrators, place and frequency of violence.The abused women were young and poor and, in relation to legal abortion, had a gestational period close to the week limit provided by law. The procedures used for induction were misoprostol in nine cases and MVA in four cases, with an average hospital stay of three days. The decision in relation to legal abortion was taken by the legal guardians of women with mental disabilities. The people responsible for these women and their care were also women, revealing a matter of care naturalization as a private and feminine task. It is clear, therefore, the need for increased investment in protective initiatives and research in the area of sexual violence and mental disabilities.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.-
Palavras-chave: dc.subjectViolência sexual-
Palavras-chave: dc.subjectDeficiência mental-
Palavras-chave: dc.subjectAborto legal-
Título: dc.titleDeficiência mental : violência sexual e aborto legal-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.