A função operativa da linguagem : a constituição da realidade em uma perspectiva psicanalítica

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorChatelard, Daniela Scheinkman-
Autor(es): dc.contributorMaesso, Márcia Cristina-
Autor(es): dc.creatorSantos, Luzia Silva dos-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T18:36:56Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T18:36:56Z-
Data de envio: dc.date.issued2019-04-29-
Data de envio: dc.date.issued2019-04-29-
Data de envio: dc.date.issued2019-04-29-
Data de envio: dc.date.issued2018-08-21-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/34500-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/635856-
Descrição: dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2018.-
Descrição: dc.descriptionEssa dissertação faz uma investigação sobre como se apresentam as especificidades psicanalíticas freudianas e lacanianas no que diz respeito a função operativa da linguagem na constituição da realidade. Tal pesquisa visa auxiliar para que atuações clínicas sejam problematizadas e repensadas à luz de construções psicanalíticas concernentes à temática. Esse trabalho se baseia no pressuposto de que a linguagem exerce um papel essencial na constituição da realidade. Nesse sentido o trabalho se estrutura em três capítulos: no primeiro articulamos os fundamentos metodológicos dessa pesquisa no que concerne aos pressupostos referentes à pesquisa em psicanálise, e, a partir disso, extraímos formulações que anunciam a ligação da realidade psíquica ao conceito freudiano de desejo; no segundo, pensamos o papel do significante na mediação frente ao desejo e ao Outro, balizados pela castração e pela interligação destes aos conceitos de complexo de Édipo, em Freud, e de Nome-do-Pai, em Lacan; no terceiro e último capítulo examinamos as articulações significantes na instauração das estruturas clínicas e discutimos a definição de realidade a partir dos três registros lacanianos, do simbólico, imaginário e real. Desse modo uma conclusão atinente, dentre outras extraídas dessa pesquisa, concebe que a linguagem exerce um papel constituinte, mas não determinante da realidade, que é entendida aqui como realidade psíquica; em outros termos, a leitura psicanalítica que fizemos não remete a uma superioridade do registro simbólico sobre os outros dois registros. Por fim, a função operativa da linguagem atesta que não há um referente para o nome.-
Descrição: dc.descriptionThis dissertation investigates how Freudian and Lacanian psychoanalytic specificities are presented with regard to the operative function of language in the constitution of reality. Such research aims to help clinical activities be problematized and rethought in the light of psychoanalytic constructions concerning the theme. This work is based on the assumption that language plays an essential role in the constitution of reality. In this sense, the work is structured in three chapters: in the first, we articulate the methodological foundations of this research with regard to the presuppositions referring to research in psychoanalysis, and from this we extract formulations that announce the connection of psychic reality to the Freudian concept of desire; in the second, we think of the role of the signifier in the mediation of desire and the Other, marked by castration and their interconnection with the concepts of Oedipus complex in Freud and Name of the Father in Lacan; in the third and final chapter we examine the significant articulations in the establishment of clinical structures and discuss the definition of reality from the three Lacanian registers, from the symbolic, imaginary and real. In this way a pertinent conclusion, among others extracted from this research, conceives that the language exerts a constituent, but not determinant paper of the reality, that is understood here like psychic reality; in other words, the psychoanalytic reading we have made does not refer to a superiority of the symbolic record over the other two registers. Finally, the operative function of language attests that there is no referent for the name.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.-
Palavras-chave: dc.subjectPsicanálise-
Palavras-chave: dc.subjectLacan, Jacques, 1901-1981 - crítica e interpretação-
Palavras-chave: dc.subjectFreud, Sigmund, 1856-1939 - crítica e interpretação-
Palavras-chave: dc.subjectLinguagem-
Palavras-chave: dc.subjectRealidade psíquica-
Título: dc.titleA função operativa da linguagem : a constituição da realidade em uma perspectiva psicanalítica-
Título: dc.titleThe operative function of language : the constitution of reality in a psychoanalytic perspective-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.