Conhecimentos, atitudes e práticas de trabalhadores rurais em relação ao uso de agrotóxicos e biomonitoramento da exposição

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorCaldas, Eloísa Dutra-
Autor(es): dc.creatorPasiani, Juliana de Oliveira-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T18:34:49Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T18:34:49Z-
Data de envio: dc.date.issued2012-06-15-
Data de envio: dc.date.issued2012-06-15-
Data de envio: dc.date.issued2012-06-15-
Data de envio: dc.date.issued2012-02-01-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/10725-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/635016-
Descrição: dc.descriptionDissertação( Mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de ciências da saúde, Programa de pós-graduação em ciências da saúde, 2012.-
Descrição: dc.descriptionO uso de agrotóxicos na agricultura tem o objetivo de preservar as culturas daação danosa de seres vivos considerados nocivos, aumentar a produção dealimentos e sua qualidade e diminuir o trabalho no campo. Entretanto, o usoindevido desses produtos pode gerar danos à saúde e ao meio ambiente. Nesseestudo, o conhecimento, atitudes e práticas em relação ao uso de agrotóxicos e osníveis de exposição dos agricultores e suas famílias aos inseticidas inibidores dacolinesterase, organofosforados (OF) e carbamatos (CAR), foram avaliados em duascomunidades rurais do centro-oeste do Brasil, Goianápolis e Núcleo Rural Taquara.Um questionário padronizado com 59 questões objetivas e 2 subjetivas foi aplicadoem 112 agricultores com idade _ 18 anos. Os níveis de exposição aos agrotóxicosdos trabalhadores e seus familiares foram avaliados por meio da análise decolinesterase sanguínea. A média da idade dos trabalhadores foi de 37,7 anos, 6,3%eram analfabetos ou apenas alfabetizados e 29,4% tinham pelo menos o ensinofundamental completo. Eles trabalhavam em pequenas áreas de cultivo,caracterizadas por baixa tecnologia. A maioria acredita que os agrotóxicos podemfazer mal à saúde (87,5%). Entretanto, quase metade deles relatou usar raramente(48,2) equipamentos de proteção individual (EPI), ou até nunca os usam (7,2);11,2% acham que os agrotóxicos podem prejudicar a saúde daqueles que vivemperto da área de plantio. Foi encontrada uma associação entre regime de trabalho eo uso de EPI (p=0,001), que são mais usados entre meeiros do que aquelesenvolvidos na agricultura familiar. Uma correlação significativa (p=0,027) foiencontrada entre reportar sintomas adversos e o uso de aplicador costal. A atividadeda acetilcolinesterase (AChE) dos agricultores (n=76) e dos familiares (n=18) foisignificativamente maior do que o grupo controle (n=41 e n=23, respectivamente)(p=0,02 e p<0,01). A atividade da butirilcolinesterase (BChE) no grupo dosfamiliares, em comparação com o grupo controle, foi significativamente menor. Entreos 60 agricultores que doaram sangue nos períodos de exposição (até 5 dias depoisde usar OF e/ou CAR) e não exposição (com mais de 15 dias sem usar essesinseticidas), 10 (17%) tiveram diminuição da AChE acima de 30% durante o períodode exposição em comparação com o nível basal. Seis familiares que moravam emáreas de alguns desses agricultores também apresentaram essa diminuição.xAproximadamente 32% dos agricultores (n=19) tiveram a atividade da AChE maiorque 30% em relação ao nível basal, indicando o efeito rebote. Exames de sangue derotina foram feitos em 135 indivíduos trabalhadores, familiares ou do grupo controlepara avaliar parâmetros renais e hepáticos. Foram encontradas 48 alterações (3,4%de todos os exames), sendo 65% delas no grupo dos agricultores. Esses resultadosindicaram que programas de educação são necessários para promover o uso segurodos agrotóxicos no campo e proteger os agricultores e seus familiares da exposiçãoaos agrotóxicos. ___________________________________________________________________________________________ ABSTRACT-
Descrição: dc.descriptionPesticides are used in the field for pest control, to increase food productionand quality and reduce human labor. However, the misuse of these products cancause damage to health and environment. In this study, the knowledge, attitudes andpractices regarding pesticide use and the levels of exposure of farmers and theirfamilies (residents) to cholinesterase inhibitor pesticides were evaluated in two ruralsettings in the Midwestern region of Brazil, Goianápolis and Núcleo Rural Taquara. Astandardized questionnaire with 59 objective and 2 subjective questions wascompleted by 112 farmers aged _18 years. Exposure levels of farmers andresidents to pesticides were assessed through blood cholinesterase analysis. Theaverage age of the farmers was 37.7 years, 6.3% were illiterate or had never beento school and 29.4% had at least primary school. Farmers worked in smallplots, and did not utilize advanced farming technology. Almost all acknowledged thatpesticides were potentially harmful to their health (87.5%). However, over half rarely(48.2%) or never (7.2%) used personal protective devices (PPD); 11.2% thought thatpesticides impaired the health of those living near the planting area. We foundan association (p=0.001) between the work regimen and the use of PPD, with morefrequent equipment use among hired laborers than those involved in familyagriculture. A significant correlation (p=0.027) was found between the reporting ofadverse symptoms and the use of backpack sprayers. Mean AChE activity of farmers(n=76) and residents (n=18) were significantly higher than their control groups(n=41 and n=23, respectively) (p=0.02 and p<0.01). Mean Butyrylcholinesterase(BChE) activity was significantly lower than the control only in the residentgroup. Among the 60 farmers that had blood sample collected in bothexposure (up to 5 days after using AChE inhibitors) and non-exposure periods(not using AChE inhibitors for at least 15 days), 10 (17%) had AChE depletion of over30% during the exposure period compared with the baseline level. Six residentsliving in the same farms also presented this depletion. AChE was higher than30% the baseline level for 19 farmers (31.7%), indicating a reboot effect.Results from routine blood exams performed in 135 individuals from all groupsshowed 48 alterations (3.4% of all exams), 65% of them in the farmer group.These results indicate that special education programs are needed to promotethe safe use of pesticides in the field to protect farmers and their familiesfrom pesticide exposure.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Palavras-chave: dc.subjectProdutos químicos agrícolas-
Palavras-chave: dc.subjectTrabalhadores rurais-
Título: dc.titleConhecimentos, atitudes e práticas de trabalhadores rurais em relação ao uso de agrotóxicos e biomonitoramento da exposição-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.