Influência das desordens de processamento auditivo na avaliação neuropsicológica de pessoas com dificuldade de aprendizagem

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorTristão, Rosana Maria-
Autor(es): dc.creatorVieira, Patrícia Aguiar Cunha-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T18:29:45Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T18:29:45Z-
Data de envio: dc.date.issued2010-02-27-
Data de envio: dc.date.issued2010-02-27-
Data de envio: dc.date.issued2007-06-29-
Data de envio: dc.date.issued2007-06-29-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/3779-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/633066-
Descrição: dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, 2007.-
Descrição: dc.descriptionAs queixas de dificuldade de aprendizagem de crianças escolares e pré-escolares têm aumentado significativamente nos últimos anos nos ambulatórios de neuropediatria, exigindo mais cuidado no diagnóstico diferencial multidisciplinar. Este trabalho tem por objetivo geral verificar a influência de desordens do processamento auditivo nas dificuldades de aprendizagem e sua relação com variáveis cognitivas, perceptuais, sensoriais e neurológicas. Considerando que exames de processamento de informação não compõem necessariamente o protocolo dos serviços ambulatoriais de neuropediatria e a literatura internacional tem apontado que de 7 a 10% das crianças em idade escolar apresentam essa desordem com importantes implicações para a aprendizagem e adaptação sócio-emocional, participaram da pesquisa 32 sujeitos encaminhados para o serviço de neuropediatria do Hospital Universitário de Brasília ou para a Clínica Escola do Instituto de Psicologia da UnB (CAEP) com queixa de dificuldade de aprendizagem, na faixa etária entre 3,5 e 36 anos, abrangendo os níveis desde o pré-escolar à educação superior. Os sujeitos ou seus responsáveis foram entrevistados para levantamento de dados de nível de escolaridade e história da queixa. Os sujeitos foram submetidos a avaliações com baterias neuropsicológicas verbais (Bateria Wechsler para avaliação da inteligência: WPPSI-III, WISC-III e WAIS-III) e não-verbais (SON-R), avaliações fonoaudiológicas (Audiometria Comportamental, Impedanciometria, EOAs e Teste de Processamento Auditivo) e avaliações neurológicas (exame clínico, BERA e P-300). As hipóteses levantadas neste estudo se confirmaram parcialmente, porque o grupo com Dislexia não apresentou desempenho diferente entre os testes verbal e não-verbal e foi o grupo de melhor desempenho no Bender. Contudo, os resultados apontaram tendências para perfis neuropsicológicos e tipo de comprometimento do processamento auditivo de cada um dos grupos (DA, TDAH e Dislexia). O grupo da Dislexia apresentou os melhores resultados e foi o mais homogêneo. O grupo de TDAH não apresentou o padrão ACID no WISC-III para os casos individuais, mas apresentou essa tendência para o grupo e foi também o grupo de pior desempenho verbal. O grupo DA obteve os piores desempenhos totais e a maior dispersão nos resultados de subtestes. Entre os achados deste estudo, pode-se concluir que a avaliação neuropsicológica é sensível à detecção dos diferentes tipos de dificuldade de aprendizagem, implicando a necessidade de inclusão desse tipo de avaliação para melhor entendimento das habilidades perceptivas, cognitivas e o tipo de ambiente, visando prevenção ou intervenção mais assertiva. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT-
Descrição: dc.descriptionThe complaints of learning disability (LD) in school age children and preschoolers have increased significantly in the past few years on the services of clinical neuro-pediatricians requiring more careful diagnostic procedures from part of the multidisciplinary team. This paper has the objective to investigate the influence of auditory processing disorders (APD) in LD and its relationship with cognitive, perceptual, sensory and neurological variables. The relevance of this object of study is that assessments for APD don’t make part of the diagnostic protocol in the services of clinical neuro-pediatricians. The international literature shows that 7 to 10% of school age children present impairments in such assessments, with important implications to learning processes and social-emotional adaptations. In this study, participated 32 subjects that were sent from a neuro-pediatrician service at the University’s Hospital of Brasilia (HUB) or from the university’s psychology school clinic (CAEP) at the University of Brasilia (UNB) that presented the complaint of LD. The age range was from three years and six months up to 36 years old, including all levels of education from preschoolers up to graduation students. The subjects or their legal responsibles were interviewed for information about their level of education and the history of LD. The subjects were also submitted to neuropsychological assessments by a verbal battery (Wechsler: WPPSI-III, WISC-III and WAIS-III), and a non-verbal (SON-R 2½-7/SON-R 5½-17), phonological evaluations (audiometry, tympanometry, otoacustic emissions and auditory processing) and neurophysiologic evoked potentials examinations (P-300 and auditory evoked potentials). The hypothesis proposed in this study were partially confirmed because the Dyslexia group didn’t present different results between the verbal and nonverbal tests and the Bender results for this group was the best among groups. Nevertheless, the results showed tendencies towards specific neuropsychological and auditory processing profiles for the groups studied (LD, ADHD and Dyslexia). The Dyslexia group presented the best overall results and was the most homogeneous group. The ADHD group didn’t present the ACID pattern for individual cases, but the group showed that tendency and also the worst verbal result among groups. The LD group had the worst total result and the most heterogeneous group in the results of subtests. Among the findings of this work it was possible to conclude that neuropsychological assessment is sensitive to different types of learning disabilities, implicating the necessity to include that assessment for the better understanding of the perceptual and cognitive abilities and environmental factors to help in the prevention or in a more assertive intervention.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Palavras-chave: dc.subjectPsicologia da aprendizagem-
Palavras-chave: dc.subjectDistúrbios da aprendizagem-
Palavras-chave: dc.subjectNeuropsicologia - avaliação-
Palavras-chave: dc.subjectDislexia-
Palavras-chave: dc.subjectAudição (Psicologia)-
Título: dc.titleInfluência das desordens de processamento auditivo na avaliação neuropsicológica de pessoas com dificuldade de aprendizagem-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.