Avaliação do prognóstico das crises, depressão, memória verbal, efeitos adversos das drogas e qualidade de vida dos pacientes operados por epilepsia do lobo temporal mesial

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorMotta, Luiz Augusto Casulari Roxo da-
Autor(es): dc.creatorDias, Luís Augusto Miranda-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T18:28:33Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T18:28:33Z-
Data de envio: dc.date.issued2016-02-12-
Data de envio: dc.date.issued2016-02-12-
Data de envio: dc.date.issued2016-02-12-
Data de envio: dc.date.issued2015-08-07-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/19490-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://dx.doi.org/10.26512/2015.08.T.19490-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/632583-
Descrição: dc.descriptionTese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2015.-
Descrição: dc.descriptionIntrodução: A cirurgia para epilepsia permanece subutilizada apesar da evidência robusta, em estudos randomizados, da sua superioridade no controle das crises. Todavia, o impacto na qualidade de vida e indicadores sociais são de avaliação mais complexa e demandam estudos com maior seguimento. Objetivos: Analisar, após longo prazo, o impacto do tratamento cirúrgico no controle das crises, depressão, memória verbal e na qualidade de vida dos pacientes operados por epilepsia do lobo temporal mesial (ELT-M) em comparação com grupo similar de pacientes em avaliação pré-operatória. Identificar, no grupo cirúrgico, as variáveis que se correlacionam com a qualidade de vida. Método: Estudo analítico e observacional com a análise de pacientes operados por ELT-M. Coletou-se os dados prospectivamente em entrevista única, realizada por neuropsicóloga independente, no período de junho de 2012 à julho de 2013. Os pacientes responderam ao questionário sócio-demográfico e às versões validadas, em português do Brasil, do Questionário de Depressão de Beck-II, da Escala de Eventos Adversos de Liverpool e do Questionário de Qualidade de Vida em Epilepsia-31 (QOLIE-31). Empregou-se o Teste de Aprendizagem Auditivo-Verbal de Rey (RAVLT) para avaliar a memória verbal. O prognóstico do controle das crises epilépticas foi avaliado tanto pela classificação de Engel como da Liga Internacional Contra a Epilepsia (ILAE). A informação sobre o número de drogas antiepilépticas no pré-operatório foi colhida retrospectivamente. Resultados: Entrevistamos 71 pacientes operados entre junho de 2000 e agosto de 2009 e ainda 20 pacientes que estavam em avaliação pré-operatória por ELT-M. Após tempo médio de evolução pós operatória de 81 meses, na classificação de Engel, 44% dos pacientes estavam livres de crises (Engel Ia), 72% estavam controlados (Engel I) e 7% continuavam com crises frequentes desde a cirurgia (Engel III e IV) enquanto, apenas um (5%) dos pacientes não operados permanecia em remissão (Engel I). A Classificação da ILAE ressaltou que 68% não sofreram nenhuma crise no último ano. A análise comparativa mostrou que os pacientes operados tinham menor prevalência de depressão (p = 0,002), e toxicidade das drogas (p = 0,002), que tiveram o seu uso diminuído em quantidade ou retirado em 30% dos pacientes. Mais pacientes operados trabalhavam (p = 0,02), o que não se refletiu em diferenças no nível educacional, direção de veículos ou desenvolvimento de laços familiares. Ao teste de Rey, os pacientes comumente apresentaram deficiência da memória verbal independendo da cirurgia e da lateralidade da epilepsia. A evocação tardia estava inferior à média em 76% dos operados e 65% dos não operados. Em relação à evocação imediata, mais pacientes operados tiveram desempenho muito inferior à média (p = 0,05). Quanto à autopercepção da qualidade de vida, o grupo operado foi superior no escore total (M = 75,44 versus M = 60,08, p<0,001) e em todos os seus domínios, com exceção do funcionamento cognitivo que permaneceu semelhante. Essa diferença não foi correlacionada com o tempo de evolução pós-operatória. As análises por regressão logística múltipla mostraram que o grau de controle das crises e as escalas de depressão e de efeitos adversos das drogas, explicavam 73% da variância na qualidade de vida dos pacientes operados e da amostra como um todo. Conclusão: O tratamento cirúrgico é eficaz e permite redução ou retirada das medicações antiepilépticas. Entretanto, o impacto nos indicadores sociais é modesto e a qualidade de vida, referida pelos pacientes, depende não só do controle das crises mas ainda do fardo de sintomas depressivos e efeitos adversos das drogas.-
Descrição: dc.descriptionIntroduction: Surgery for epilepsy remains underutilized despite robust evidence from randomized studies of greater seizure control. However, its impact on quality of life and social outcomes is far more complex to assess and requires long-term evaluation. Objective: We aimed to evaluate, in the long-term, the surgical outcomes in terms of seizure control, depression, verbal memory, antiepileptic drugs (DAEs) side effects and quality of life of patients treated for mesial temporal lobe epilepsy (MTLE) compared to a similar group in preoperative evaluation. The self-assessed quality of life correlations were identified in the surgical group. Method: This was an analytical observational study evaluating patients operated on for MTLE. Data were prospectively collected through a single structured in-person interview conducted by an independent neuropsychologist from June 2012 to July 2013. Patients answered a socio-demographic questionnaire and validated versions, in Brazilian Portuguese, from the Beck Depression Inventory-II, the Liverpool Adverse Events Profile (AEP) and the Quality of Life Inventory in Epilepsy-31 (QOLIE-31). The Rey Auditory Verbal Learning Test was employed for verbal memory assessment. The seizure outcome was classified according to both Engel’s and the International League Against Epilepsy (ILAE) scales. Information on the number of preoperative DAEs was collected retrospectively. Results: We interviewed 71 patients operated on between June 2000 and August 2009 and a further 20 patients while in MTLE preoperative evaluation. After 81 months’ mean postoperative follow-up, 44% achieved complete seizure freedom, 72% were in remission and only 7% continued to seize frequently by Engel's classification. The ILAE Classification also indicated that, during the last year, 68% were seizure-free. Only one of the non-operated patients remained in remission. The comparative analysis showed that the surgical group had a lower prevalence of depression (p = 0.002), and drug-related adverse effects (p = 0.002). There was a decrease in the number and even 30% withdrawal from DAEs. More patients were working (p = 0.02), but this was not reflected in educational, driving and family bonding skills. Patients commonly obtained low verbal memory scores irrespective of surgery and laterality. The delayed recall was well below the expected mean in 76% of surgical and 65% of control cases. In the immediate recall task, operated patients more frequently had performances less than 2 SD below average (p = 0.05). Regarding self-perception of quality of life (QOL), they scored higher in the total score (M = 75.44 vs. M = 60.08, p <0.001) and in all but the similar cognitive functioning dominions. These differences were not correlated to the length of the follow-up period. Multiple logistic regression analyses showed that the degree of seizure control, Beck’s depression and AEP severity explained 73% of variance in the surgical group QOL as well as in the whole sample all together. Conclusion: Surgical treatment is effective and allows a reduction or withdrawal of antiepileptic medications. However, the impact on social indicators is modest, and the self-reported quality of life relies not only on seizure control but also on depressive symptoms and the burden of adverse effects from drugs.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.-
Palavras-chave: dc.subjectEpilepsia - cirurgia-
Palavras-chave: dc.subjectEsclerose hipocampal-
Palavras-chave: dc.subjectEpilepsia - controle de crises-
Título: dc.titleAvaliação do prognóstico das crises, depressão, memória verbal, efeitos adversos das drogas e qualidade de vida dos pacientes operados por epilepsia do lobo temporal mesial-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.