Qualidade de vida relacionada à saúde bucal em crianças e adolescentes

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorMestrinho, Heliana Dantas-
Autor(es): dc.contributorCarvalho, Joana Christina Theodoro de-
Autor(es): dc.contributornicoleaimeerodrigues@gmail.com-
Autor(es): dc.creatorJosé, Nicole Aimée Rodrigues-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T18:23:29Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T18:23:29Z-
Data de envio: dc.date.issued2021-03-06-
Data de envio: dc.date.issued2021-03-06-
Data de envio: dc.date.issued2021-03-06-
Data de envio: dc.date.issued2020-09-25-
Fonte completa do material: dc.identifierhttps://repositorio.unb.br/handle/10482/40167-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/630496-
Descrição: dc.descriptionTese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2020.-
Descrição: dc.descriptionA presente tese constou de 3 estudos sobre Qualidade de Vida Relacionada à Saúde Bucal (OHQRoL) de crianças/adolescentes. Estudo I verificou a medida que cárie e fluorose dentárias e determinantes de saúde bucal são associados à OHQRoL em crianças/adolescentes, socialmente vulneráveis do DF, Brasil. Foram avaliados 1122 e incluídos 618 participantes de 10-15 anos de idade, que responderam questionário sobre determinantes demográficos, comportamentos em saúde bucal e ao Child Perception Questionnaire (CPQ11-14). Também foram avaliados clinica e radiograficamente. Pais responderam questionário sobre condições sócio-econômicas. Prevalências de lesões de cárie cavitadas em dentina (C3) e fluorose foram de 39,5% e 48,5%, respectivamente. Participantes (34,8%) reportaram pelo menos, um domínio do CPQ11-14 afetado “frequentemente”/“todos/quase todos os dias”. Análise de regressão logística mostrou que participantes realizando escovação ≤ uma vez/dia (p=0,002) e com lesões C3 reportaram impacto negativo na OHRQoL (p=0,001), diferentemente da fluorose (p=0,545). Em conclusão, efeito adverso na OHRQoL foi relacionado à severidade de lesões C3, mas não à fluorose dentária. Esse achado é relevante para apoiar politica de saúde bucal em populações socialmente vulneráveis. Estudo II constou de Revisão Sistemática e Metanálise (RS e MA) que avaliou responsividade de questionários validados de OHRQoL às intervenções à cárie dentária em crianças, adolescentes e adultos jovens. Foram elegíveis Estudos Clínicos Randomizados (ECR), Estudos Clínicos Controlados (ECC), Série de Casos Prospectivos (SCP) que empregaram 8 questionários OHRQoL antes e após intervenções. Foram incluídos 26 estudos e selecionados 14 para MA. A maioria (n=19) foi SCP com único grupo pré/pos-teste. Total de participantes com idades entre 3 e 19 anos foi de 3.522 (grupo controle) e 5.917 (grupo teste). Estudos mostraram melhora significativa na OHRQoL após intervenções, a maioria não-randomizados (n=15) com baixo ou moderado risco de viés. A MA mostrou efeito de intervenções na OHRQoL (SMD =-1.24; p<0,001) e alta heterogeneidade. O GRADE classificou a qualidade da evidência em muito baixa e força da evidência baixa. Em conclusão, intervenções à cárie dentária melhoram OHRQoL, mas a qualidade da evidência é baixa. Contudo, intervenções são recomendadas, pois suas abstenções podem deteriorizar a OHRQoL. Estudo III investigou após 1 ano, a responsividade do CPQ11–14 a mudanças na OHRQoL de crianças/adolescentes inseridos em programa de saúde bucal. Participantes do Estudo I (n=560), responderam ao CPQ11–14 e foram reavaliados clinica-radiograficamente, antes e após tratamentos. Participantes (n=374) necessitavam de tratamento não-operatório e 244 de tratamentos não- e operatório. Após 1 ano, participantes foram reagrupados conforme necessidade de tratamento atendida. Grupo 1 (n = 363) necessitava e recebeu tratamento não- operatório; Grupo 2 (n = 98) necessitava e recebeu tratamentos não- e operatório; Grupo 3 (n = 99) necessitava de tratamentos não- e operatório, mas recebeu somente não-operatório. Mudanças médias do escore CPQ11–14 totais foram confrontadas com a autopercepção em saúde bucal e indicaram melhora na OHRQoL (p < 0,001, ANOVA). Efeito do programa foi significante, mas moderado para todos os grupos (p=0,014, ANCOVA). Em conclusão, o CPQ11–14 foi responsivo para detectar mudanças clínicas e é apropriado para medir mudanças a longo termo na OHRQoL de crianças/adolescentes.-
Descrição: dc.descriptionThe present thesis consisted of 3 studies on children/adolescents ́ Oral Health Quality of Life (OHRQoL). Study I. Assessed the extent to which dental caries, fluorosis and oral health behavior determinants would be associated with OHRQoL of socially vulnerable children/adolescents of DF, Brazil. Were screened 1122 and selected 618 participants, 10-15 years-old, which answered questionnaires on demographic determinants, oral health behaviors and the Child Perception Questionnaire (CPQ11–14). Also were clinically and radiographically assessed. Parents answered questionnaire about socioeconomic status. The prevalences of cavitated dentine lesions (D3) and dental fluorosis was 39.5% and 48.5%, respectively. Participants (34.8%) reported at least one CPQ11-14 domain being impacted “frequently” or “every day/almost every day”. Logistic regression analysis showed that individuals with toothbrushing frequency ≤ once/day (p = 0.002) and with D3 lesions (p =0.001) had negative impact on OHRQoL, unlike dental fluorosis (p=0.545). In conclusion, increased impact on OHRQoL was related to the severity of D3 lesions, but not to fluorosis. These findings are particularly relevant for supporting oral health police for disadvantaged populations. Study II. The Systematic Review and Meta-Analysis (SR and MA) assessed the validated OHRQoL questionnaires responsiveness’ for dental caries interventions in children, adolescents and young adults. Randomized Clinical Trials (RCTs), Controlled Clinical Trials (CCTs) and Prospective Case Series (PCS), which had 8 OHRQoL questionnaires answered before/after caries interventions studies were eligible. A total of 26 studies were included and 14 were selected for the MA. The majority (n=19) were PCS with a single pre/post- test group. Participants aged between 3 and 19 years was 3,522 (control group) and 5,917 (test group). All studies showed significant improvement in OHRQoL after caries interventions, most of non-randomized (n=15) with low/moderate risk of bias. The MA showed the effect of interventions on OHRQoL (SMD = - 1.24; p < 0.001) and high heterogeneity. The GRADE classified the quality of evidence as very low and its strength weak. In conclusion, dental caries interventions improve the OHRQoL, but the quality of the evidence was very low. In spite of that, caries interventions are highly recommended as abstaining from treatment is likely to result in a deterioration of OHRQoL. Study III. Investigated participants OHRQoL ́changes enrolled in an oral health care program after 1 year. Participants from study I (n=560) were clinically and radiographically reevaluated and answered to the CPQ11–14, before/after treatments. Participants (374) required nonoperative and 244 needed non- and operative treatments. After 1 year, the participants were regrouped according to the fulfillment of treatment needs. Group 1 (n = 363) needing/receiving nonoperative treatment; Group 2 (n = 98) needing/receiving non- and operative treatments; Group 3 (n = 99) receiving nonoperative treatment, while needing also operative treatment. The CPQ11–14 total mean change scores on self- perceived oral health status indicated OHRQoL improvment (p < 0.001, ANOVA). The effect of the program for the treatment groups was significant, but moderate for all groups (p = 0.014, ANCOVA). In conclusion, the CPQ11–14 was responsive to detect clinical changes and seems appropriate for measuring long-term changes on children/adolescents’ OHRQoL.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.-
Palavras-chave: dc.subjectQualidade de vida-
Palavras-chave: dc.subjectSaúde bucal - Distrito Federal (Brasil)-
Palavras-chave: dc.subjectCáries dentárias-
Palavras-chave: dc.subjectSaúde bucal - crianças-
Título: dc.titleQualidade de vida relacionada à saúde bucal em crianças e adolescentes-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.