Aspectos sociais e reprodutivos das mulheres submetidas à laqueadura tubária na maternidade municipal Mãe Esperança em Porto Velho/RO

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorTavares, Maria Clotilde Henriques-
Autor(es): dc.creatorMonteiro, Ida Peréa-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T18:10:31Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T18:10:31Z-
Data de envio: dc.date.issued2010-05-19-
Data de envio: dc.date.issued2010-05-19-
Data de envio: dc.date.issued2009-
Data de envio: dc.date.issued2009-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/4739-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/625275-
Descrição: dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2009.-
Descrição: dc.descriptionDiversas publicações no Brasil relatam um expressivo número de mulheres submetidas à laqueadura tubária em idade precoce, bem como uma significativa taxa de arrependimento entre 12 a 20%. Considerando o grande número deste procedimento realizado na Maternidade Municipal Mãe esperança (MMME), em Porto Velho (RO), o objetivo do presente estudo foi descrever os aspectos sociais e reprodutivos de mulheres submetidas a este procedimento na referida instituição no período de julho de 2006 a junho de 2008. Trata-se de estudo descritivo retrospectivo com análise de dados secundários. A amostra foi composta por 862 prontuários de mulheres submetidas à laqueadura tubária na instituição no período referido. Os documentos constantes dos prontuários e utilizados como instrumentos de coleta de dados foram Declaração de Nascidos Vivos (DNV), Termo de Consentimento Informado Para a Realização da Laqueadura e Autorização para Internação Hospitalar (AIH). Os resultados da análise dos aspectos sociais revelaram que 65,93% das mulheres não haviam concluído oito anos de escolaridade (correspondente ao ensino fundamental), 30,43% completaram este ciclo e apenas 3,64% haviam concluído 12 anos de escolaridade (correspondente ao nível médio). A baixa escolaridade provavelmente está refletida na ocupação destas mulheres. Assim, 69% eram do lar e 5% declararam-se como trabalhadoras domésticas. No quesito idade, verificouse que 57,77% das mulheres submeteram-se à laqueadura tubária entre 25 e 30 anos. Aos 34 anos, 91,41% da amostra estava esterilizada. Apenas 7,54% submeteram-se à laqueadura tubária antes dos 20 anos, o que destoa de outras pesquisas nacionais. Dentre as mulheres laqueadas, 64,6% eram solteiras, 16,8% eram casadas e 14,2 viviam em união consensual. Quanto à procedência, 86% eram da área urbana, 11,5% eram da área rural, e apenas 2,5% eram de outros municípios. Os aspectos reprodutivos foram analisados segundo o conceito dos direitos reprodutivos, que incluem quando ter filhos, quantos ter e qual o intervalo entre eles. Quanto à idade por ocasião do primeiro parto, verificou-se que ela ocorreu com menos de 20 anos para 70,77% das mulheres, entre 20 e 24 anos para outros 23,83%, e apenas 5,37% tiveram o primeiro parto com 25 anos ou mais. O número de filhos revelou-se muito acima da média nacional e mesmo da região norte que é a maior por região do Brasil (PNDS, 2006). Dentre as participantes do estudo, 29,41% das mulheres tinham três filhos, 48,85% tinham quatro ou mais filhos, 21,41% tinham apenas dois e 0,46% tinham apenas um filho quando foram esterilizadas. A análise do intervalo entre os partos revelou este foi menor que 24 meses para 28,17% das ocorrências, 25,53% dos partos ocorreram com intervalo entre 24 e 35 meses e 21,01% foi maior do que 60 meses. A exceção do intervalo inferior aos 24 meses, os demais estão de acordo com o recomendado pela Organização Mundial de Saúde. Foram encontrados para o grupo estudado baixos níveis de escolaridade e idade por ocasião do primeiro parto em relação ao número de filhos vivos e à idade por ocasião da realização da Laqueadura Tubária Podemos concluir com base nos resultados, que os aspectos sócioreprodutivos da amostra investigada apontam para uma condição de vulnerabilidade social grave com indicadores mais desfavoráveis que a média da Região Norte, que por sua vez, já são bastante desfavoráveis em relação a outras regiões do país. ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT-
Descrição: dc.descriptionSeveral publications in Brazil have reported a high number of women with early tube ligation as well as an expressive repentance rate (from 12 to 20%) among them. The aim of the present work was to profile social and reproductive characteristics of the women who had undergone tubal ligation in the Maternidade Municipal Mãe Esperança (MMME) Hospital in Porto Velho (RO) between July 2006 and June 2008, given the high frequency of this procedure there. This is a descriptive, restrospective study based on secondary data taken from 862 charts. The data taken from the charts included a Statement of ..., Informed consent for Tubal ligation procedure and Hospital admission consent. Results from social aspects analysis showed that, by the time of the procedure, 65,93% of the women had not completed 8 school years whereas 30,43% completed the 8-year cycle and only 3,64% had concluded 12 years. Low educational level was also reflected on their occupation levels. Unemployed women rated at 69% of the sample and 5% worked as house maids. Also 57,77% of the patients had undergone tubal ligation between 25 and 30 years of age. Most of the sample (91,41%) underwent the surgery before 34 years of age. In contrast with national surveys, only 7,54% were 20 years old or less by the time of the procedure. Regarding marital status, 64,6% were single, 16,8% were married and 14,2% cohabitated. Finally most of the women considered here belonged to urban areas (86%) but 11,5% came from rural area and 2,5% were residents of different cities. Their reproductive profile was analyzed according to the concept of reproductive rights, which include offspring size, age of birth and how far inbetween each child. It was observed that first birth before 20 years of age had happened to 70,77% of the women, between 20 and 24 years to 23,83% and above 25 years to only 5,37%. Offspring size was high above the national average. It was even above the regions average which is the highest in the country (PNDS, 2006). Women with four or more chidren rated 48,85% whereas those with three rated 29,41%, with two were 21,41% and only 0,46% had only one child by the time of the procedure. The gap between births was less than 24 months in 28,71% of the total, between 24 and 35 months for 25,53% and above 60 months for 21,01%. All of the birht gaps were in accordance with WHO recommended rates, except for gaps bellow 24 months. In the analyzed sample, low educational levels and early age at the time of the procedure were found which was also mirrored in the size of offspring. Therefore the social and reproductive aspects surveyed here indicate a vulnerable social situation for the women in this study, below the regions already low indicators.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Palavras-chave: dc.subjectPlanejamento familiar-
Palavras-chave: dc.subjectMulheres - saúde e higiene-
Palavras-chave: dc.subjectLaqueadura tubária-
Título: dc.titleAspectos sociais e reprodutivos das mulheres submetidas à laqueadura tubária na maternidade municipal Mãe Esperança em Porto Velho/RO-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.