Diferentes protocolos com progesterona na resposta superestimulatória e produção embrionária de vacas do grupamento genético curraleiro/Pé-duro

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorMariante, Arthur da Silva-
Autor(es): dc.contributorRamos, Alexandre Floriani-
Autor(es): dc.creatorTeixeira, Heitor Castro Alves-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T18:07:49Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T18:07:49Z-
Data de envio: dc.date.issued2011-04-17-
Data de envio: dc.date.issued2011-04-17-
Data de envio: dc.date.issued2011-04-17-
Data de envio: dc.date.issued2009-12-14-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/7433-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/624199-
Descrição: dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, 2009.-
Descrição: dc.descriptionO Brasil tem uma enorme experiência na reprodução assistida de seu rebanho bovino comercial, e dois protocolos de superestimulação ovariana foram desenvolvidos, para animais Bos taurus (P36) e Bos indicus (P24). Tendo em vista que o Banco Brasileiro de Germoplasma Animal (BBGA) possui um número reduzido de embriões estocados de bovinos naturalizados brasileiros, torna-se necessário o estudo da resposta desses animais a programas de superovulação para coleta de embriões. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi o de avaliar a resposta superestimulatória, a produção e a qualidade embrionária de matrizes do grupamento genético Curraleiro/Pé-duro utilizando os protocolos P24 e P36, visando promover o incremento de embriões desta população no BBGA. Doze vacas Curraleiras, originárias do rebanho de conservação da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, foram divididas aleatoriamente em três grupos experimentais: Controle, P24 e P36, em um delineamento experimental cross-over. Todas as doadoras tiveram o estro sincronizado e no quinto dia do ciclo estral as doadoras dos grupos P24 e P36 receberam implante intravaginal de progesterona e 2mg de benzoato de estradiol. A partir do nono dia do ciclo estral todas as doadoras receberam 133 mg de FSHp em oito doses decrescentes de 12 em 12 horas, com duas doses de 150μg de D-cloprostenol junto com a quinta e a sexta doses viii de FSH. Os tratamentos P24 e P36 diferiram em relação ao momento da retirada do implante de progesterona, 24h ou 36h após a primeira aplicação de D-cloprostenol. Todas as doadoras receberam 25μg de lecirelina no décimo terceiro dia do ciclo estral, com as inseminações realizadas 12 e 24 horas após. A coleta dos embriões foi feita sete dias após a primeira inseminação artificial. A avaliação dos ovários foi realizada, por ultrassonografia, no momento da administração da primeira e oitava doses de FSH, dois dias após a inseminação artificial e no momento da coleta dos embriões. Não houve diferença (P>0,05; Anova; Duncan) para resposta superestimulatória e superovulatória (folículos na emergência da onda, folículos ao fim da SOV, folículos não ovulados, corpos lúteos na coleta) entre os tratamentos. O número de estruturas totais foi maior (P<0,05) no P24 do que no Controle e o número de estruturas viáveis foi maior (P<0,05) no P24 e no P36 do que no Controle. O número de estruturas congeláveis e de estruturas inviáveis e a taxa de recuperação foram semelhantes entre os tratamentos (P>0,05). As vacas do grupamento genético Curraleiro/Péduro se apresentaram fisiologicamente mais próximas de animais taurinos quanto à resposta superovulatória e produção embrionária. Os resultados sugerem que seria mais indicado o uso dos protocolos de superovulação P24 ou P36 do que protocolos sem utilização de implante de progesterona em vacas Curraleiras/Pé-duro. Entretanto, devido a maior proporção entre estruturas congeláveis e totais alcançada com o uso do protocolo P36, sugere-se que este protocolo pode ser o mais indicado quando se visa o enriquecimento de bancos de germoplasma. ________________________________________________________________________________ ABSTRACT-
Descrição: dc.descriptionBrazil has an enormous experience in the attended reproduction of its commercial cattle breeds, and two protocols of ovarian superestimulation were developed: one for Bos taurus (P36) and another for Bos indicus (P24) animals. The Brazilian Animal Gene Bank (BAGB) counts with a small number of stored embryos of local cattle breeds, for this reason it is necessary to study the response of those animals to superovulation and embryo transfer programs. The objective of this work was to evaluate superestimulatory response, embryo production and embryonic quality of Curraleiro/Pé-duro cows, using the protocols P24 and P36, seeking to promote the increase of criopreserved embryos of this population in BAGB. Twelve cows Curraleiro/Pé-duro, from the Conservation nucleus of Embrapa Genetic Resources and Biotechnology, were divided in three experimental groups: Control, P24 and P36, in a crossover experimental design. All cows had the estrus synchronized and in the fifth day of the estrus cycle, the cows of the groups P24 and P36 received an intravaginal progestogen implant and 2mg of estradiol benzoate. Starting from the ninth day of the estrus cycle all cows received 133 mg of FSHp in eight decreasing in 12 hours interval, with two doses of 150μg of D-cloprostenol with the fifth and the sixth doses of FSH. Treatments P24 and P36 differed in the moment of the progestogen implant removal, that ocurried 24 or 36 hours after the first application of D-cloprostenol. All cows received 25μg of lecireline in the thirteenth day of the estrus cycle, with the inseminations accomplished 12 and 24 hours after. x The embryo collection was done seven days after the first artificial insemination. The evaluation of the ovaries was done through ultrasound scanning, in the moment of the administration of the first and eighth doses of FSH, two days after the artificial insemination and in the moment of the embryo collection. There was no difference (P>0,05, Anova Duncan) for superestimulatory and superovulatory response (follicles in the wave emergency, follicles in the end of SOV, follicles not ovulated and corpora lutea) among treatments. The number of total structures was greater (P>0.05) in P24 than in the Control and the number of viable structures was greater (P>0,05) in P24 and in P36 than in the Control. The number of .frozen structures. unviable structures and recovery tax were not different (P>0,05) among treatments. The curraleiro/Pé-duro cows presented physiological behavior common to Bos taurus when superestimulatory response and embryo production were evaluated. The results suggest that the use of P24 or P36 superestimulation protocols were better than the use of protocols without progestogen implant in Curraleiro/Pé-duro cows. However, a greater proportion of frozen structures related to the total structures was reached with the use of the P36 protocol, what suggests that this is the one that should be used when the enrichment of germoplasm bank is sought.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Palavras-chave: dc.subjectReprodução animal - bovino-
Palavras-chave: dc.subjectReprodução animal - bovino - endocrinologia-
Palavras-chave: dc.subjectEmbriologia - ciências médicas-
Título: dc.titleDiferentes protocolos com progesterona na resposta superestimulatória e produção embrionária de vacas do grupamento genético curraleiro/Pé-duro-
Título: dc.titleDifferent protocols with progesterone on superestimulatory response and embryo production of cows of the curraleiro/Pé-duro genetic group-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.