Coprólitos da Formação Adamantina, Cretáceo Superior do Grupo Bauru, estado de São Paulo, Brasil

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorSantucci, Rodrigo Miloni-
Autor(es): dc.contributorpaleofabio@gmail.com-
Autor(es): dc.creatorOliveira, Fábio Antônio de-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T18:05:25Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T18:05:25Z-
Data de envio: dc.date.issued2021-04-26-
Data de envio: dc.date.issued2021-04-26-
Data de envio: dc.date.issued2021-04-25-
Data de envio: dc.date.issued2020-12-16-
Fonte completa do material: dc.identifierhttps://repositorio.unb.br/handle/10482/40640-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/623293-
Descrição: dc.descriptionTese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Geociências, Programa de Pós-Graduação em Geologia, 2020.-
Descrição: dc.descriptionA Formação Adamantina, Grupo Bauru (Bacia Bauru, Cretáceo Superior), é uma importante unidade geológica fossilífera do território brasileiro. Os crocodilomorfos encontrados na Formação Adamantina destacam-se com notável abundância e diversidade de espécies, e suas características indicam distintas formas e hábitos de vida. O registro fóssil também inclui dinossauros saurópodes e materiais escassos de dinossauros terópodes. Além de fósseis de vertebrados, também podem ser encontrados grande quantidade de coprólitos, que receberam pouca atenção até o momento. Esses coprólitos são produtos dos organismos que habitaram a região centro-oeste, noroeste e nordeste do Estado de São Paulo e podem revelar importantes informações de seus produtores. Esta tese apresenta e discute características de 137 coprólitos de vertebrados da Formação Adamantina das localidades paulistas de Jales, Fernandópolis, Adamantina, Marília, Ibirá, Taquaral, Fernando Prestes e Monte Alto. Em Jales e Fernandópolis, os coprólitos foram recuperados dos mesmos blocos de rochas em que ocorrem fósseis de Baurusuchidae e Sphagesauridae. Os morfotipos encontrados foram: cilíndricos (n = 71), liquefeitos (n = 7), ovoides (n = 21) e cônicos (n = 3). Um total de 35 coprólitos apresentam alta fragmentação e não foram categorizados. O conjunto de evidências levantadas sugerem alta dominância de coprólitos produzidos por crocodilomorfos, reflexo da elevada abundância e riqueza do grupo, seguido por coprólitos de dinossauros saurópodes e terópodes. Os coprólitos atribuídos a dinossauros saurópodes apresentam morfologia, densidade e composição característico de herbívoros. Coprólitos com presença de fragmentos ósseos, fissuras internas e maior largura podem ser atribuídos a dinossauros terópodes. Os coprólitos atribuídos a crocodilomorfos indicam que esses animais ocuparam a maior parte dos nichos ecológicos e exploraram distintas estratégias alimentares. As inclusões encontradas sugerem carnivoria, piscivoria e herbivoria, que podem ser atribuídas a diferentes espécies de crocodilomorfos de Baurusuchidae, Peirosauridae e Sphagesauridae, respectivamente. Em Jales, os coprólitos liquefeitos estão associados a esqueletos de Baurusuchidae, ovos e associações de ovos, sugerindo que esses coprólitos foram produzidos por filhotes de Baurusuchidae. Os coprólitos atribuídos a Sphagesauridae sugerem que esses animais incluíam plantas na dieta, que podem ser atribuídas a Gnetales. Os resultados encontrados sugerem que os coprólitos são indicadores da diversidade de vertebrados da Formação Adamantina, tal como a diversidade de esqueletos encontrados, e reforçam a importância do estudo desses icnofósseis como fonte informações paleobiológicas e paleoecológicas de organismos extintos.-
Descrição: dc.descriptionConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).-
Descrição: dc.descriptionThe Adamantina Formation, Bauru Group (Bauru Basin, Upper Cretaceous), is an important fossiliferous geological in Brazil. The crocodylomorphs found in these deposits are well known for their abundance and diversity of species, and their morphology also indicate different behaviour. The Adamantina Formation fossil record also includes sauropod dinosaurs and scarce theropod materials. In addition to vertebrate fossils, vertebrate coprolites findings are common, but they received little attention so far. These coprolites are products of the organisms that inhabited the central-west, northwest, and northeast regions of the State of São Paulo and can provide important information about their producers. This thesis presents and discusses the features of 137 vertebrate coprolites from the Adamantina Formation from the cities of Jales, Fernandópolis, Adamantina, Marília, Ibirá, Taquaral, Fernando Prestes, and Monte Alto. In Jales and Fernandópolis, the coprolites were recovered from the same blocks of rocks where fossils of Baurusuchidae and Sphagesauridae were found. The morphotypes found were classified in different morphotypes: cylindrical (n = 71), liquefied (n = 7), ovoid (n = 21), and conical (n = 3). A total of 35 coprolites are highly fragmented and have not been categorized. The analyses suggest a high abundance of coprolites produced by crocodylomorphs, reflecting the high number of skeleton findings and diversity of the group, followed by coprolites of sauropod and theropod dinosaurs. The coprolites attributed to sauropod dinosaurs have morphology, density, and composition typical of herbivores. Coprolites with bone fragments within, internal fissures, and relatively larger in diameter were assigned to theropod dinosaurs. The coprolites attributed to crocodylomorphs indicate that these animals occupied most of the ecological niches and explored different feeding strategies. The inclusions found suggest carnivory, piscivory, and herbivory, and can be assigned to different species of Baurusuchidae, Peirosauridae and Sphagesauridae, respectively. In Jales, liquefied coprolites are associated with Baurusuchidae skeletons, eggs and egg associations, suggesting that these coprolites were produced by yearling or juvenile Baurusuchidae. The coprolites attributed to Sphagesauridae suggest that these animals included plants in their feeding habits, since the remains found within the coprolites can be attributed to Gnetales. The results suggest that coprolites are indicators of the diversity of vertebrates in the Adamantina Formation, as well as the diversity of skeletons previously found, and reinforce the importance of these ichnofossils as a source of paleobiological and paleoecological information on extinct organisms.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.-
Palavras-chave: dc.subjectMorfotipos-
Palavras-chave: dc.subjectFormação Adamantina (SP)-
Palavras-chave: dc.subjectGnetales-
Palavras-chave: dc.subjectCrocodilomorfos-
Palavras-chave: dc.subjectGrupo Bauru-
Palavras-chave: dc.subjectFósseis - análise-
Título: dc.titleCoprólitos da Formação Adamantina, Cretáceo Superior do Grupo Bauru, estado de São Paulo, Brasil-
Título: dc.titleCoprolites from the Adamantina Formation, Upper Cretaceous of the Bauru Group, state of São Paulo, Brazil-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.