Análise prognóstica comparativa entre a perfusão cerebral por ressonância magnética e análise da metilação do gene promotor de MGMT nos gliomas malignos

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorFarage, Luciano-
Autor(es): dc.creatorGepp, Ricardo de Amoreira-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T18:04:43Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T18:04:43Z-
Data de envio: dc.date.issued2013-10-30-
Data de envio: dc.date.issued2013-10-30-
Data de envio: dc.date.issued2013-10-30-
Data de envio: dc.date.issued2013-07-30-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/14454-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/623017-
Descrição: dc.descriptionDissertação (mestrado)— Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2013.-
Descrição: dc.descriptionIntrodução: A RM é o padrão atual de imagem para o diagnóstico de tumores encefálicos, com imagens anatômicas e funcionais. Achados anatômicos por meio da ressonância magnética são insuficientes na avaliação prognóstica dos tumores, sendo necessária a utilização de outros métodos. A análise da metilação do gene promotor do MGMT é outro fator importante no prognóstico de gliomas anaplásicos. Este estudo teve o objetivo de estudar o prognóstico e as relações entre aspectos de perfusão na ressonância magnética e a análise da metilação do gene promtor de MGMT. Métodos: Foram analisados 39 pacientes com gliomas malignos encefálicos. Os pacientes foram submetidos a ressonância magnética com estudo da perfusão e após a cirurgia foi realizada a análise da presença do gene promotor de MGMT. Foi feito a análise estatística e o estudo das curvas de sobrevivências do grupo metilado e não metilado e da perfusão. Resultados:O estudo demonstrou que a sobrevida média dos pacientes negativos para metilação no gene promotor de MGMT foi de 17,9 meses, enquanto que no grupo positivo para metilação a sobrevida foi de 29,2 meses (p<0,05). A curva de Kaplan-Meier demonstrou uma sobrevida maior no grupo com metilação do gene promotor de MGMT (p<0,01 log-rank teste). A curva de sobrevivência da análise da metilação do gene promotor do MGMT com relação a perfusão demonstrou que nos pacientes com presença do gene a variação da perfusão entre alta e baixa não foi significante (p=0,944). Na avaliação dos casos sem a presença do gene, os pacientes com perfusão alta tiveram pior sobrevida (p=0,038). Conclusão: A presença de metilação do gene promotor de MGMT associado a uma perfusão baixa na ressonância magnética são fatores para melhor prognóstico nos gliomas malignos encefálicos. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT-
Descrição: dc.descriptionBACKGROUND: Magnetic resonance imaging is the current standard in the diagnostic imaging of brain tumors, yielding both anatomical and functional images. Anatomical findings on MRI are insufficient for the prognostic assessment of tumors; thus, other methods are needed. MGMT promoter methylation assessment is another important factor in the prognosis of malignant gliomas. The aim of the present study was to examine prognosis and the relationships between perfusion features on MRI and the presence of MGMT promoter methylation. METHOD: A total of 39 patients with malignant brain gliomas were evaluated. The patients underwent brain MRI and perfusion, and the presence of MGMT promoter methylation was assessed postoperatively. Statistical analysis and a study of the survival curves of the methylated and unmethylated groups were performed, and perfusion was assessed for each group. RESULTS: The mean survival of patients who were negative for MGMT promoter methylation was 17.9 months, while in the methylation-positive group survival was 29.2 months (p<0.05). The Kaplan-Meier curve showed longer survival for the groupwith MGMT promoter methylation (p<0.01 by the log-rank test). The survival curve of MGMT promoter methylation in relation to perfusion showed that variations between high and low perfusion values were not significant (p=0.944) for themethylation-positive patients. In the evaluation of the methylation-negative patients, those who showed high perfusion values had poorer survival (p=0.038). CONCLUSION: Presence of MGMT promoter methylation in conjunction with low perfusion on MRI are factors of better prognosis in malignant brain gliomas.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.-
Palavras-chave: dc.subjectCérebro - tumores-
Palavras-chave: dc.subjectPrognóstico-
Palavras-chave: dc.subjectGenes-
Título: dc.titleAnálise prognóstica comparativa entre a perfusão cerebral por ressonância magnética e análise da metilação do gene promotor de MGMT nos gliomas malignos-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.