Narrativas e processos de desenvolvimento bicultural : trajetórias escolares de surdos jovens

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorSilva, Daniele Nunes Henrique-
Autor(es): dc.creatorRibeiro, Camila de Brito-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T18:02:46Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T18:02:46Z-
Data de envio: dc.date.issued2014-11-24-
Data de envio: dc.date.issued2014-11-24-
Data de envio: dc.date.issued2014-11-24-
Data de envio: dc.date.issued2014-04-10-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/17015-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/622275-
Descrição: dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, 2014.-
Descrição: dc.descriptionHistoricamente, a escolarização dos surdos é um ponto amplo de discussão que tem sido marcado pela singularidade linguística desses sujeitos. Caracterizadas por uma transição de diferentes filosofias educacionais nas últimas três décadas e organizadas pelas políticas públicas de inclusão, as ofertas educativas foram diversificadas, conferindo vivências múltiplas no espaço escolar. A instituição escolar é lócus da constituição subjetiva dos surdos, por ser o núcleo social onde a maioria deles tem contato com seus pares e com a língua de sinais, uma vez que 95% dos surdos são provenientes de famílias ouvintes. É na escola que a criança surda acessa, de forma mais elaborada, elementos culturais e simbólicos. Reconhecendo essa condição, o presente estudo tem como temática o processo de escolarização dos surdos, especificamente, as relações entre escolarização e constituição bicultural. O objetivo desta pesquisa foi compreender as narrativas dos surdos sobre seus processos de escolarização, evidenciando como estas se articulam às políticas e filosofias educacionais em prol daquele público e como a vida na escola se relaciona aos processos formativos biculturais. Os sujeitos participantes da pesquisa são surdos que se comunicam pela língua de sinais e que estão em fase de conclusão ou concluíram recentemente a educação básica. O trabalho de campo foi realizado em uma escola pública de Ensino Médio do Distrito Federal, por meio de discussões em um grupo focal. Os encontros foram desenvolvidos por uma equipe multidisciplinar, formada por uma pedagoga (pesquisadora deste trabalho), uma psicóloga e dois intérpretes – um para cada semestre do trabalho de campo. Foram realizados 17 encontros semanais durante o segundo semestre de 2012 e o primeiro de 2013, cada um com duração média de uma hora e meia. Os dados foram videogravados e transcritos integralmente para análise. Sob o enfoque microgenético, foram estruturados dois eixos de análise: o eixo A – As narrativas sobre as trajetórias escolares dos surdos, que foi subdividido em A1 – O que narra o surdo sobre sua trajetória escolar e A2 – As especificidades da inclusão: a língua, o intérprete e a pedagogia da imagem; e o eixo B – Os impactos da vida na escola para o desenvolvimento bicultural. Os resultados do estudo apontam que as trajetórias escolares foram diversificadas, englobando as principais mudanças das filosofias educacionais e das políticas públicas. Diante dessas experiências, as especificidades da constituição bicultural foram marginalizadas na escola. Porém, a presença da língua de sinais e o convívio com outros surdos foram aspectos fundamentais na vida escolar dos sujeitos da pesquisa. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT-
Descrição: dc.descriptionHistorically, the education of the deaf is a broad topic marked by the linguistic uniqueness of these subjects. Characterized by a transition between different educational philosophies over the past three decades and organized by the public policies of inclusion, the educational settings were varied and involved multiple experiences. School is the locus for the subjective constitution of the deaf, for it is the social unit where most of them have contact with their peers and with sign language, since 95% of them are from hearing families. It is at school that the deaf child has access, on a more elaborate way, to cultural and symbolic elements. Given this condition, the present study focuses on the process of education of the deaf, specifically, the relationship between schooling and bicultural constitution issues. The aim of this research was to understand the narratives of the deaf about their schooling process, showing how this process articulates to the political and educational philosophies, and how school life relates to bicultural education processes. The subjects investigated are deaf who are nearing completion or who have recently completed basic education and communicate by sign language. The research was conducted in a public secondary school in Brazilian’s Federal District, where data were collected using the focus group technique. The meetings were conducted by a multidisciplinary team consisting of an educator (the researcher), a psychologist and two sign language interpreters – one for each half of the research. There were 17 weekly meetings during the second semester of 2012 and the first semester of 2013, each one lasting an average of an hour and half. The meetings were videotaped and fully transcribed for analysis. Under the microgenetic approach, two axes of analysis were structured: A – The narratives about the school history of the deaf, which was divided into A1 – What the deaf tell about their educational lives and A2 – The singularities of the inclusion process of the deaf: the language, the interpreter and the visual pedagogy; and B – The impacts of school life in the bicultural development. The main results of the study indicate that school trajectories were diverse, encompassing the major changes in educational philosophies and public policies, which led to the marginalization of the specificities of bicultural constitution at school. However, the presence of sign language and the interaction with other deaf were central aspects of the school lives of these subjects.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.-
Palavras-chave: dc.subjectSurdos - educação-
Palavras-chave: dc.subjectSurdos-
Palavras-chave: dc.subjectSurdos - escolarização-
Palavras-chave: dc.subjectPsicologia do desenvolvimento-
Título: dc.titleNarrativas e processos de desenvolvimento bicultural : trajetórias escolares de surdos jovens-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.