Semioses em discursos jornalísticos : a discursividade jornalística dogmatizada

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorRussi, Pedro-
Autor(es): dc.creatorÁvila, Marcos Reche-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T18:00:43Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T18:00:43Z-
Data de envio: dc.date.issued2020-02-03-
Data de envio: dc.date.issued2020-02-03-
Data de envio: dc.date.issued2020-02-03-
Data de envio: dc.date.issued2019-06-28-
Fonte completa do material: dc.identifierhttps://repositorio.unb.br/handle/10482/36799-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/621485-
Descrição: dc.descriptionDissertação (Mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade Comunicação, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, 2019.-
Descrição: dc.descriptionEste trabalho é uma discussão sobre o sistema linguístico do jornalismo nas lógicas que compõem o seu cerne. São levantados questionamentos sobre sua forma textual e as possibilidades em ações, tendo as ações como aquilo que se comunica através do texto. São, então as ações englobadas pela forma do texto: aquilo que se diz. O contexto, portanto, tem centralidade conceitual neste trabalho, sendo posto em relação com o texto. Foram utilizados como principais referências o linguista crítico Foucault intitulado por algum motivo como filósofo nos anais da história e o linguista Bakhtin também intitulado por algum motivo como filósofo nos anais da história. Ambos trabalham focados nas ações através da língua, estudando a processualidade dela. Foucault vem a ser importante por toda sua construção lógica e crítica do funcionamento da língua e a proposição analítica de que apenas a genealogia sem a crítica não serve a uma análise eficaz dos processos lógicos das discursividades. Bakhtin, em sua translinguística, nos oferece a ideia de que um texto nunca deve ser analisado fora de (ou sem) o seu contexto, sendo a enunciação para ele não apenas a produção de sentido gramatical em uma oração, mas a ação daquilo que se constitui com a formulação completa de um discurso, o que chama conceitualmente de diálogo, já que o autor entende que carregamos conosco vozes sociais e isto nos torna invariavelmente indivíduos sociais sempre em relações uns com os outros e os discursos que proferimos ou registramos em escrita são diálogos resultantes das nossas relações com as vozes sociais que carregamos. A comunicação é o propósito da discursividade para Bakhtin, assim como para Foucault. Desta maneira, o interesse neste trabalho é estudar discursos e lógicas discursivas no jornalismo que acabam por constituir-se em discursos de cunho, em algum nível, dogmático, sendo o dogma uma verdade inquestionável.-
Descrição: dc.descriptionThis work is a debate regarding the linguistic system of journalism in the logics that sets its core up. Questions are made regarding its textual form and possibilities in actions; actions as what communicates throughout the text. They are, then, the actions encompassed by the form of the text: what is said. The context, therefore, has conceptual centrality in this work, being put in relation to the text. The critical linguist Foucault; entitled, for some reason as a philosopher in the annals of history, and the linguist Bakhtin; also entitled for some reason as a philosopher in the annals of history, were the main references. Both authors focus on actions through the language, studying their procedurality. Foucault becomes important for all his logical and critical construction of the functioning of the language and the analytic proposition that only genealogy without criticism does not serve as an effective analysis of the logical processes of discourses. Bakhtin, in his translinguistics, offers us the idea that a text should never be analyzed outside (or without) its context, being the enunciation not only the production of grammatical meaning in a sentence, but also the action of what constitutes the complete formulation of a discourse, what he calls conceptually a dialogue; since the author understands that we carry with us social voices and this invariably makes us social individuals always relating to each other and the discourses that we utter or register in writing are dialogues resulting from our relationships with the social voices we carry. Communication is the purpose of discursiveness for Bakhtin, as well as for Foucault. In this way, the aim in this work is to study discourses and discursive logics in journalism that end up constituting themselves in discourses of some sort, dogmatic, being dogma an unquestionable truth.-
Descrição: dc.descriptionEste trabajo es una discusión sobre el sistema lingüístico del periodismo en las lógicas que conforman su núcleo. Se plantean preguntas sobre su forma textual y las posibilidades en las acciones, con acciones como lo que se comunica a través del texto. Son, entonces, las acciones que abarca la forma del texto: lo que se dice. El contexto, por lo tanto, tiene una centralidad conceptual en este trabajo, puesto que se pone en relación con el texto. El lingüista crítico Foucault, titulado por alguna razón como filósofo en los anales de la historia, y el lingüista Bakhtin, también por alguna razón como filósofo en los anales de la historia, fueron utilizados como referencias principales. Ambos trabajan enfocados en acciones a través del lenguaje, estudiando su procedencia. Foucault adquiere importancia para toda su construcción lógica y crítica del funcionamiento del lenguaje y la proposición analítica de que solo la genealogía sin crítica no sirve para un análisis efectivo de los procesos lógicos de los discursos. Bakhtin, en su translingüística, nos ofrece la idea de que un texto nunca debe ser analizado fuera (o sin) su contexto, cuya enunciación no es solo la producción de significado gramatical en una oración, sino la acción de lo que es. Constituye con la formulación completa de un discurso, lo que se denomina conceptualmente de diálogo, ya que el autor entiende que llevamos con nosotros las voces sociales y esto, invariablemente, nos hace individuos sociales siempre en relación entre nosotros y los discursos que pronunciamos o registramos por escrito. Diálogos resultantes de nuestras relaciones con las voces sociales que llevamos. La comunicación es el propósito de la discursividad para Bakhtin, como para Foucault. De esta manera, el interés en este trabajo es estudiar los discursos y las lógicas discursivas en el periodismo que terminan constituyéndose en discursos de algún tipo, dogmáticos, siendo el dogma una verdad incuestionable.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.-
Palavras-chave: dc.subjectJornalismo-
Palavras-chave: dc.subjectDiscurso jornalístico-
Palavras-chave: dc.subjectAnálise do discurso - Jornalismo-
Título: dc.titleSemioses em discursos jornalísticos : a discursividade jornalística dogmatizada-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.