“Hilda Hilst : da dramaturgia ao poder e à cena : leituras das peças O Verdugo (1969) e o Rato no Muro (1967)”

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorGomes, André Luís-
Autor(es): dc.creatorGomes, Francisco Alves-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T18:00:02Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T18:00:02Z-
Data de envio: dc.date.issued2013-09-30-
Data de envio: dc.date.issued2013-09-30-
Data de envio: dc.date.issued2013-09-30-
Data de envio: dc.date.issued2013-07-23-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/14229-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/621229-
Descrição: dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Mestrado em Literatura e Práticas Sociais, 2013.-
Descrição: dc.descriptionA dissertação intitulada: “Hilda Hilst: Da dramaturgia ao poder e à cena – leituras das peças O Verdugo e o Rato no Muro” tem por objetivo sistematizar reflexões sobre a ideia de poder na dramaturgia hilstiana, especialmente nas duas peças supracitadas. Hilda Hilst (1930 – 2004) é reconhecida pela crítica especializada como um dos grandes nomes da literatura brasileira. A autora alcançou mérito nos mais variados gêneros literários, como a poesia e a prosa. e sua dramaturgia, formada por oito peças, escritas entre os anos de 1967 – 1969, é rica em lirismo e recursos simbólicos. Desse modo, a nossa análise se centra nas peças O Rato no Muro e O Verdugo, nas quais Hilda Hilst pensa as relações de poder entre oprimidos e opressores tornando-as latentes através de discursos que denunciam opressões e opressores e ações em prol da liberdade. Ao analisarmos as peças utilizamos o conceito poder (re) elaborado pelo filósofo e historiador Michel Foucault. Para o pensador, o poder se mostra presente nos mais variados campos das relações humanas, e se evidencia, principalmente, nos espaços em que hierarquias são construídas e/ou mantidas e onde se exteriorizam as relações de poder existentes. Foucault nos guia ao longo de nosso trabalho organizado em quatro capítulos. No último capítulo, temos um registro da montagem da leitura cênica do texto O Rato no Muro, realizada para o projeto de extensão Quartas Dramáticas. Neste desdobramento prático e teórico, partilhamos algumas experiências do processo de transmutação do texto para a cena, demonstrando a força que o teatro hisltiano pode ter também no plano da montagem cênica. Assim, a presente dissertação, ao se constituir no tripé dramaturgia, poder e a cena, objetiva apresentar uma análise que possa desvendar o lirismo e o valor simbólico do texto teatral hisltiano e apresentar algumas de suas muitas possibilidades de interpretações teórica e cênica. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT-
Descrição: dc.descriptionThe dissertation entitled: “Hilda Hilst: From the dramaturgy to the power and to the stage – readings of the plays O Verdugo and O Rato no Muro” has the aim to systematize conjectures about the idea of power in the ‘Hilstian’ dramaturgy, especially in the two plays mentioned above. Hilda Hilst (1930 – 2004) is recognized by the critics as one of the greatest names of the Brazilian literature. The writer achieved merit in various literary genres, like the poetry and the prose, and her dramaturgy, formed by eight plays, written between 1967 and 1969, is full of lyricism and symbolic resources. That way, the analysis is centered in the plays O Rato no Muro and O Verdugo, in witch Hilda Hilst thinks about power relations between oppressed and oppressors that become potential through speeches that denounce oppressions and oppressors and actions towards freedom. When analyzing the plays, is used the notion of the power (re)elaborated by the philosopher and historian Michel Foucault. To this academic, the power shows itself in many areas of the human relations and becomes evident mostly in the spaces in witch hierarchies are constructed and/or maintained and where the existent power relations are externalized. Foucault guide us all over the essay, organized in four chapters. In the last chapter, there is a register of the montage of a scenic reading of the text O Rato no Muro, held for the extension project named “Dramatic Wednesdays”. In this practical ant theoretic deployment, we share some experiences of the process of the transmutation of the text to the stage, showing the strength that the “Hilstian” theatre can have in the scenic montage too. Therefore, this essay, constituted in the trivet dramaturgy, power and stage, has the aim to present a analysis that can unveil the lyricism and the symbolic value of the ‘Hilstian’ theatrical text and to present some of many possibilities of theoretical and scenic interpretations.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.-
Palavras-chave: dc.subjectHilst, Hilda, 1930-2004-
Palavras-chave: dc.subjectTeatro-
Palavras-chave: dc.subjectFoucault, Michel, 1926-1984-
Palavras-chave: dc.subjectPoder-
Título: dc.title“Hilda Hilst : da dramaturgia ao poder e à cena : leituras das peças O Verdugo (1969) e o Rato no Muro (1967)”-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.