Qualidade da atenção ao parto em maternidades do Rio de Janeiro

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.creatorD'Orsi, Eleonora-
Autor(es): dc.creatorChor, Dora-
Autor(es): dc.creatorGiffin, Karen Mary-
Autor(es): dc.creatorAngulo-Tuesta, Antonia-
Autor(es): dc.creatorBarbosa, Gisele Peixoto-
Autor(es): dc.creatorGama, Andréa de Sousa-
Autor(es): dc.creatorReis, Ana Cristina-
Autor(es): dc.creatorHartz, Zulmira-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T17:59:26Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T17:59:26Z-
Data de envio: dc.date.issued2012-10-23-
Data de envio: dc.date.issued2012-10-23-
Data de envio: dc.date.issued2005-08-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/11461-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102005000400020-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/620993-
Descrição: dc.descriptionOBJETIVO: Avaliar a qualidade da atenção durante o processo de trabalho de parto de acordo com normas da Organização Mundial de Saúde. MÉTODOS: Trata-se de estudo do tipo caso-controle, realizado em duas maternidades: pública e conveniada com o Sistema Único de Saúde, no Município do Rio de Janeiro. A amostra foi composta por 461 mulheres na maternidade pública (230 partos vaginais e 231 cesáreas) e por 448 mulheres na maternidade conveniada (224 partos vaginais e 224 cesáreas). De outubro de 1998 a março de 1999, foram realizadas entrevistas com puérperas e revisão de prontuários. Foi construído escore sumarizador da qualidade do atendimento. RESULTADOS: Observou-se baixa freqüência de algumas práticas que devem ser encorajadas, como presença de acompanhante (1% na maternidade conveniada, em ambos os tipos de parto), deambulação durante o trabalho de parto (9,6% das cesáreas na maternidade pública e 9,9% dos partos vaginais na conveniada) e aleitamento na sala de parto (6,9% das cesáreas na maternidade pública e 8,0% das cesáreas na conveniada). Práticas comprovadamente danosas e que devem ser eliminadas como uso de enema (38,4%), tricotomia, hidratação venosa de rotina (88,8%), uso rotineiro de ocitocina (64,4%), restrição ao leito durante o trabalho de parto (90,1%) e posição de litotomia (98,7%) para parto vaginal apresentaram alta freqüência. Os melhores resultados do escore sumarizador foram obtidos na maternidade pública. CONCLUSÕES: As duas maternidades apresentam freqüência elevada de intervenções durante a assistência ao parto. A maternidade pública, apesar de atender clientela com maior risco gestacional, apresenta perfil menos intervencionista que maternidade conveniada. Procedimentos realizados de maneira rotineira merecem ser discutidos à luz de evidências de seus benefícios.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Publicador: dc.publisherFaculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsTodo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons (Attribution-NonCommercial 3.0 Unported (CC BY-NC 3.0)). Fonte: http://www.scielo.br/revistas/rsp/pedboard.htm. Acesso em: 17 out. 2012.-
Palavras-chave: dc.subjectServiços de saúde à maternidade - Brasil-
Palavras-chave: dc.subjectMaternidade - Brasil-
Palavras-chave: dc.subjectTocologia-
Palavras-chave: dc.subjectObstetrícia-
Título: dc.titleQualidade da atenção ao parto em maternidades do Rio de Janeiro-
Título: dc.titleQuality of birth care in maternity hospitals of Rio de Janeiro, Brazil-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.