Estratégias de enfrentamento e qualidade de vida de pacientes acometidos por acidente vascular encefálico em processo de reabilitação

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorTavares, Maria Clotilde Henriques-
Autor(es): dc.creatorBorges, Georgia Cristian-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T17:58:35Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T17:58:35Z-
Data de envio: dc.date.issued2009-12-23-
Data de envio: dc.date.issued2009-12-23-
Data de envio: dc.date.issued2007-
Data de envio: dc.date.issued2007-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/2884-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/620647-
Descrição: dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2007.-
Descrição: dc.descriptionO presente estudo preliminar pesquisou as estratégias de enfrentamento (coping) utilizadas e a percepção da qualidade de vida (QV) de um grupo de pacientes acometidos por acidente vascular encefálico (AVE) em processo de reabilitação, relacionadas as suas relações com atividades da vida diária, tempo de acometimento, tempo de reabilitação, gênero e idade. A amostra foi tomada entre março a outubro de 2006 e composta por 17 pacientes, 12 homens e 05 mulheres, com idade entre 34 e 82 anos, e uma média de 58,8 anos com desvio padrão de 11.02, todos os pacientes foram da Clínica de Fisioterapia da Unigran – Dourados, MS, Brasil. A avaliação cognitiva foi realizada através do instrumento MiniMental (Bertolucci, 1994), 1) o Inventário de Enfrentamento (Folkman e Lazarus, 1985), versão traduzida (Savoia, 1996) o Índice de Katz (Gallo et al., 1995) e a Escala de Qualidade de Vida de Clientes de Serviços de saúde Mental de Wisconssin (W-QLI) (Becker, 1993), respondidos em sessões consecutivas, antes ou após de reabilitação fisioterápica. Informações sobre o tempo de acometimento do acidente vascular encefálico, o tempo de reabilitação e os tipos de seqüelas foram obtidos por meio de entrevista semi-estruturada realizada com cada paciente. Quanto às estratégias de enfrentamento em relação ao acidente vascular encefálico, os resultados indicam que os homens utilizaram mais a estratégia de autocontrole, enquanto as mulheres utilizaram em maior proporção à resolução de problemas. Os índices Alpha de Cronbach não atingiram o padrão esperado exceto nas estratégias de confronto, suporte social e fuga. A maioria dos pacientes utilizou as estratégias resolução de problemas (86,8%), e reavaliação positiva (76,5%). A percepção da qualidade de vida esteve positivamente correlacionada com a estratégia de enfrentamento de fuga e esquiva (r = 0,529). As atividades instrumentais apresentaram correlação negativa (r= -0,541) e a variável, finanças correlacionou-se positivamente com a estratégia de confronto (r = 0,559). Os resultados sugerem que estes pacientes possam ter uma avaliação positiva quanto a sua satisfação de qualidade de vida, sua saúde física e apoio social, contribuindo de forma positiva para sua percepção e enfrentamento em relação ao AVE. ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT-
Descrição: dc.descriptionThe following research studied the strategies utilized in the process of coping and the perception of quality of life. The research was conducted in a group of patients whose lives were affected by a stroke and are currently in rehabilitation process. A relationship was made based on their daily activities, time of stroke, and time of rehabilitation, sex and age. The survey was made from march to October 2006 and conducted on 17 patients, 12 men and 05 women, with age varying between 34 and 82 years. The average age was 58,8 years and the standard deviation, 11,02. All stroke patients were committed to the Clinic of Physiotherapy of Unigran - Dourados, MS, Brazil. The cognitive tests were MiniMental State Examination (Bertolucci, 1994) the Inventory of coping (Folkman and Lazarus, 1985), translated version (Savoia, 1996), the Index of Katz (Gallo et al.,1995) e The Wisconsin of Quality of Life of Customers of Services of Mental health (W-QLI) (Becker, 1993) . They were conducted in consecutive sessions before or after the rehabilitation physiotherapy. Information about the sudden of attacked time of the stroke, time of rehabilitation and sort of sequels had been gotten by means of interview half-structuralized took effect with each patient. In relation to strategies of coping in stroke relation, the results denoted that men had used more the self-control strategy, while women had used in bigger ratio, the problem solving. The indexes of Alfha of Cronbach had not reached the expected standard except for the strategies of confrontive, social support and escape-avaidance. The majority of the patients used the problem solving strategies (81%) and positive reappraisal (59%). The perception of the quality of life was correlated positively with the strategy of coping of escape-avaidance (r = 0,529). The instrumentals activities were correlated negative with the strategy of positive reappraisal (r = 0,025) and the variable: finances was positively correlated with the confrontive strategy (r = 0,559).The results suggest that these patients may have a positive evaluation in relation to their satisfaction in terms of quality of life, physical health, social support, this has a positive contribution in their perception and coping with the stroke.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Palavras-chave: dc.subjectPacientes - reabilitação-
Palavras-chave: dc.subjectQualidade de vida-
Palavras-chave: dc.subjectAcidente vascular cerebral-
Título: dc.titleEstratégias de enfrentamento e qualidade de vida de pacientes acometidos por acidente vascular encefálico em processo de reabilitação-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.