Marcadores fenotípicos celulares de cães com Leishmaniose Visceral

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorFavali, Cecília Beatriz Fiuza-
Autor(es): dc.contributorMendonça, Lívia Ribeiro-
Autor(es): dc.creatorLopes, Giulia da Silva-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T17:56:22Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T17:56:22Z-
Data de envio: dc.date.issued2020-07-01-
Data de envio: dc.date.issued2020-07-01-
Data de envio: dc.date.issued2020-07-01-
Data de envio: dc.date.issued2020-02-12-
Fonte completa do material: dc.identifierhttps://repositorio.unb.br/handle/10482/38645-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/619751-
Descrição: dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Pós-graduação em Medicina Tropical, 2020.-
Descrição: dc.descriptionA Leishmaniose é uma zoonose, transmitida por vetor (gênero Lutzomyia), pertencente ao grupo de doenças tropicais negligenciadas. A Leishmaniose Visceral (LV) é considerada a forma mais perigosa da doença, apresentando risco de morte quando não tratada. A LV acomete humanos e outras espécies de mamíferos, sendo o cão infectado considerado o principal reservatório doméstico do parasito. No Brasil, a leishmaniose visceral canina (LVC) é em geral causada pela espécie L. infantum e manifesta-se num amplo espectro clínico, desde a forma assintomática até a forma sintomática da doença, com intenso comprometimento de órgãos internos. Para o curso clínico da doença, a resposta imune celular tem um importante papel, porém, há poucos estudos caracterizando detalhadamente a expressão de moléculas de superfície em leucócitos caninos diferenciando sintomáticos de assintomáticos. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar a expressão de marcadores celulares fenotípicos em leucócitos de cães infectados, sintomáticos e assintomáticos. Neste trabalho, 15 cães do DF foram distribuídos em três grupos: cães não infectados (NI), cães infectados assintomáticos (IAS) e cães infectados sintomáticos (IS). Foram analisados em contexto ex vivo, os fenótipos celulares de monócitos (CD14+MHC-II+), linfócitos T (CD3+, CD4+, CD25+, CD8+), linfócitos B (CD19+CD25+) e a viabilidade celular, em PBMCs. Adicionalmente, foi realizada a análise, in vitro, empregando-se antígenos de L. infantum, solúvel e recombinante (ADF/Cofilina e RAB1-GTPase), como tratamentos para as células citadas acima. Os resultados indicam menor freqüência de monócitos (CD14+MHC- II+) circulantes, assim como baixa expressão de CD44 no grupo IS, sugerindo comprometimento da função de apresentação de antígenos em monócitos desse grupo. Ainda, a maior expressão de CD4 em linfócitos de cães IS em relação aos cães IAS é um resultado que deve ser melhor estudado para compreensão de seu impacto na resposta imune celular dos indivíduos IS. Na avaliação de morte celular demonstrou-se a modulação desta pelo parasito em cães com LVC, sugerindo sua utilização como estratégia de evasão do parasito ao sistema imune. Alguns biomarcadores baseados na expressão de moléculas e porcentagem de monócitos e linfócitos, descritos nesse estudo, podem ser utilizados para identificar o perfil de suceptibilidade ou resistência do hospedeiro. As proteínas recombinantes utilizadas neste trabalho demandam estudos complementares para avaliação do seu potencial imunogênico e possível utilização em métodos diagnósticos.-
Descrição: dc.descriptionCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoas de Nível Superior (CAPES); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Fundação de Apoio e Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF)-
Descrição: dc.descriptionLeishmaniasis is a vector-borne zoonosis, belonging to the group of neglected tropical diseases. Visceral Leishmaniasis (VL) is considered the most dangerous form of the disease, presenting a risk of death when left untreated. VL affects humans and other mammal species, being the infected dogs considered the main domestic reservoir of the parasite. In Brazil, Canine Visceral Leishmaniasis (LVC) is generally caused by the species L. infantum, and manifests a broad clinical spectrum, from asymptomatic to symptomatic form of the disease, with intense involvement of internal organs. For the clinical course of the disease, the cellular immune response has an important role, however, there are few studies characterizing in detail the expression of surface molecules in canine leukocytes, mainly differentiating symptomatic from asymptomatic. Therefore, the aim of this study was to characterize the percentage and phenotype of monocytes and lymphocytes of dogs with LVC, symptomatic and asymptomatic. In this study, 15 dogs from the Distrito Federal (Brazil), naturally infected, were distributed in three groups: uninfected dogs (NI), asymptomatic infected dogs (IAS) and symptomatic infected dogs (IS). Cellular phenotypes of monocytes (CD14 + MHC-II +) T lymphocytes (CD3 +, CD4 +, CD25 +, CD8 +), B lymphocytes (CD19 + CD25 +) and the induction of cell death by the parasite in PBMCs were analyzed, in an Ex vivo context. Additionally, the analysis In vitro was performed using antigens from L. infantum, soluble and recombinant (ADF/Cofilina and RAB1-GTPase), as treatments for the cells mentioned above. The results indicate a lower frequency of circulating monocytes (CD14 + MHC-II +), as well as low expression of CD44, in the IS group, suggesting that the function of antigen presentation in monocyte was compromised. Also, the higher expression of CD4 in lymphocytes of IS dogs compared to IAS dogs is a result that should be better studied to understand its impact on the cellular immune response of IS. In the evaluation of cell death, its modulation by the parasite was demonstrated in dogs with LVC, this strategy was used as to evade the immune system. Some biomarkers based on the expression of molecules and percentage of monocytes and lymphocytes, described in this study, can be used to identify the host's susceptibility or resistance profile. The recombinant proteins used in the study need to be better understood to identify their immunogenic potential and possible use in diagnostic methods.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.-
Palavras-chave: dc.subjectLeishmaniose visceral canina-
Palavras-chave: dc.subjectLeucócitos caninos-
Palavras-chave: dc.subjectMoléculas de superfície-
Título: dc.titleMarcadores fenotípicos celulares de cães com Leishmaniose Visceral-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.