Consumo alimentar da população em risco de insegurança alimentar grave no Brasil

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorGubert, Muriel Bauermann-
Autor(es): dc.contributorCosta, Teresa Helena Macedo da-
Autor(es): dc.creatorKubo, Stefanie Eugênia dos Anjos Coelho-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T17:56:12Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T17:56:12Z-
Data de envio: dc.date.issued2021-07-16-
Data de envio: dc.date.issued2021-07-16-
Data de envio: dc.date.issued2021-07-15-
Data de envio: dc.date.issued2018-10-30-
Fonte completa do material: dc.identifierhttps://repositorio.unb.br/handle/10482/41421-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/619688-
Descrição: dc.descriptionTese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós Graduação em Nutrição Humana, 2018.-
Descrição: dc.descriptionA insegurança alimentar (IA) é a violação ao direito humano a uma alimentação adequada, comprometendo o acesso contínuo a alimentos em quantidade e qualidade suficientes para a manutenção da saúde. O objetivo do estudo foi avaliar o consumo alimentar da população brasileira em risco de insegurança alimentar grave (IAG). Para isso, foi necessário construir um modelo preditivo de IAG utilizando dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2009, que foi aplicado ao Inquérito Nacional de Alimentação 2008/09, gerando a probabilidade de cada pessoa avaliada estar em IAG. A IAG foi estudada por quartil de probabilidade, sendo no primeiro quartil os indivíduos com menores probabilidades de IAG domiciliar e no quarto quartil os indivíduos com as maiores probabilidades. As análises descritivas foram realizadas por grupo de alimentos e para o alimento mais consumido em cada um deles. Foram comparadas as médias de consumo entre os quartis (ANOVA) e as diferenças entre as prevalências de consumo alimentar (Qui- quadrado). Foi analisado, também, o consumo usual de energia, macronutrientes, micronutrientes e o percentual de inadequação no seu consumo. O método do National Cancer Institute (NCI) foi utilizado para caracterizar o consumo usual (médias e erro padrão). Para a prevalência de inadequação utilizou-se o valor da necessidade média estimada (EAR) de cada nutriente como ponto de corte. No quartil com mais IAG foram observadas menores médias de consumo em gramas (g) e menores prevalências de consumo nos grupos das verduras, legumes, raízes/tubérculos, frutas, panificados, bolos, laticínios, doces, pizzas/salgados/sanduíches. Observou-se uma associação inversa entre probabilidade de IAG e consumo (g) de salada crua, tomate, batata inglesa, banana, laranja, carne bovina, leite, queijos, chocolates, doces à base de leite, salgados fritos/assados e sanduíches. Em relação aos nutrientes, os indivíduos com mais risco de IAG apresentaram redução calórica, consumo reduzido de macronutrientes, principalmente lipídios, e elevadas prevalências de inadequação na ingestão de micronutrientes, bem como consumo médio muito inferior, quando comparada com o quartil com menores riscos de IAG. Conlcui-se que a IAG está associada com pior qualidade da dieta (diminuição no consumo de alimentos saudáveis), participação limitada de alguns grupos alimentares refletindo-se em uma dieta monótona, além de redução quantitativa de alimentos e maiores inadequações na ingestão de nutrientes.-
Descrição: dc.descriptionCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).-
Descrição: dc.descriptionFood insecurity (FI) is the violation of the human right to adequate food. FI occurs when there is not continuous and sufficient access to food in adequate quantity and quality to maintain the human health. The aim of this study was to evaluate the food consumption of the Brazilian population at severe food insecurity (SFI) risk. A predictive model of SFI was constructed using data from the National Survey by Household Sample (PNAD) 2009, where the Brazilian Food Insecurity Scale measured SFI. The model was then applied for 34,003 Brazilian individuals that participated of the National Dietary Survey (INA) 2008/09, which measured food consumption from two non-consecutive days, generating the probability of each individual being in SFI. The probability of SFI was grouped in quartiles. The descriptive analyzes were performed by food group and for the most consumed food in each group. We compared the means of consumption among the quartiles (ANOVA) and the differences between the prevalences of food consumption (Chi-square). The National Cancer Institute (NCI) method was used to obtain the usual intake of macro and micronutrients for SFI quartiles 1 (smaller probability of SFI) and 4 (bigger probability of SFI), grouped by gender and age. For the prevalence of inadequacy, the Estimated Average Requirement (EAR) was used as the cutoff point. Individuals with greater SFI risk had lower mean (g) and lower prevalence for the consumption of the green leaves, vegetables, roots/tubers, fruits, baked goods, cakes, dairy products, sweets, and savories food. There was an inverse association between the SFI risk and the consumption (g) of fresh salad, tomato, potato, banana, orange, beef, milk, cheese, chocolates, milk-based sweets, fried and roasted salty foods and sandwiches. The food intake of the Brazilian population at SFI risk (quartile 4) is characterized by caloric reduction, reduced consumption of macronutrients - mainly lipids -, and high prevalence of inadequate micronutrient intake, as well as a lower mean intake of nutrients, when compared with the quartile with less SFI risk. SFI is associated with poor diet quality (decreased consumption of healthy foods), limited participation of some food groups, reflecting a monotonous diet, as well as quantitative reduction of food and greater inadequacies in nutrient intake.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.-
Palavras-chave: dc.subjectConsumo alimentar-
Palavras-chave: dc.subjectInsegurança alimentar e nutricional-
Palavras-chave: dc.subjectinquérito alimentar-
Palavras-chave: dc.subjectInsegurança alimentar grave-
Palavras-chave: dc.subjectFome-
Título: dc.titleConsumo alimentar da população em risco de insegurança alimentar grave no Brasil-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.