Uma Paixão no Deserto : o conto de Balzac como metáfora do choque de culturas no colonialismo

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorCorrêa, Ana Laura dos Reis-
Autor(es): dc.creatorBarbosa, Maria Braga-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T17:56:09Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T17:56:09Z-
Data de envio: dc.date.issued2011-12-14-
Data de envio: dc.date.issued2011-12-14-
Data de envio: dc.date.issued2011-12-14-
Data de envio: dc.date.issued2011-07-08-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/9729-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/619665-
Descrição: dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Teoria Literária e Literaturas, Programa de Pós-Graduação em Literatura, 2011.-
Descrição: dc.descriptionO conto Uma paixão no deserto de Honoré de Balzac, publicado em 1832, está carregado de elementos estruturais que o associam à história do colonialismo no tocante ao comportamento das culturas em choque. Sua peculiaridade está na relação que ele apresenta com o realismo do autor, o que permite verificar um tratamento estético ou um questionamento do colonialismo, em certa medida, diferente do que era feito até então, apesar de este tema ter sido exaustivamente explorado pela literatura de todo o período colonial e pós-colonial. A partir das considerações sobre o realismo literário moderno colocadas por Lukács e por Auerbach, é possível demonstrar que o realismo balzaqueano é responsável por uma abordagem muito mais grave do tema, discutindo o Outro dentro da complexidade do universal humano. Este realismo e a eficiência na representação literária conduzem uma narrativa extremamente tensa e carregada de significado histórico e social, não obstante a brevidade do texto. O conto também oferece uma abertura para o diálogo entre diferentes narrativas (não europeias, inclusive), pois vários de seus aspectos estão presentes de formas peculiares em outros textos literários. Na tentativa de apresentar uma abordagem histórica e dialética do conto de Balzac, o curso desta discussão enfatiza as relações existentes entre produção literária e modelo econômico, considerando a obra de arte literária como peça importante para se entender a evolução da sociedade capitalista. Interessa a este trabalho a identificação dos elementos sociais e históricos, bem como suas contradições, que são captados pela obra de arte em forma de representação literária. Para tanto, tomaremos o conto de Balzac como ponto de partida para traçar uma cadeia de argumentações com base na constatação de que, entre os universais humanos, sempre haverá um lugar para a negação do Outro. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT-
Descrição: dc.descriptionThe tale A passion in the desert of Honoré de Balzac, published in 1832, is loaded structural elements that relate to the history of colonialism for the crop behavior in shock. Its peculiarity is in the relationship she has with the author, for verifying a treatment or discussion of colonialism than that was done so, despite this theme have been exhaustively explored literature throughout the colonial and post-colonial period. From considerations of the modern literary realism placed by Lukács and Auerbach, cannot demonstrate that realism of Balzac is responsible for a much more serious topic, discussing the other within the complexity of the universal human. This realism and efficiency in literary representation is leading a narrative extremely tense and full of historical and social significance, despite the brevity of the text. The story also provides an opening for the exploration of intertextuality that can be established among the narratives (non-European, inclusive), for various aspects of their dialogue with those moments. In an attempt to present a historical and dialectical approach to Balzac's tale, the course of this discussion emphasizes the relationship between literary production and economic model, whereas the literary work of art as important to understanding the evolution of capitalist society. Interest for this work, the identification of social and historical reflections, as well as its contradictions, which are captured by the artwork in the form of literary representation. For both, take the short story by Balzac as a foothold around which we will to trace a chain of reasoning based on the observation that, among human universals, there will always be a place for denial of the Other.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Palavras-chave: dc.subjectBalzac, Honoré de, 1799-1850-
Palavras-chave: dc.subjectLiteratura francesa - crítica e interpretação-
Palavras-chave: dc.subjectImperialismo-
Palavras-chave: dc.subjectLiteratura e sociedade-
Título: dc.titleUma Paixão no Deserto : o conto de Balzac como metáfora do choque de culturas no colonialismo-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.