A saúde é para todos? : experiências de pessoas surdas no acesso à saúde

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorPolejack, Larissa-
Autor(es): dc.contributorlubandeiracoelho@gmail.com-
Autor(es): dc.creatorCoelho, Luísa Bandeira-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T17:52:49Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T17:52:49Z-
Data de envio: dc.date.issued2021-02-18-
Data de envio: dc.date.issued2021-02-18-
Data de envio: dc.date.issued2021-02-18-
Data de envio: dc.date.issued2020-09-29-
Fonte completa do material: dc.identifierhttps://repositorio.unb.br/handle/10482/40084-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/618368-
Descrição: dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2020.-
Descrição: dc.descriptionO acesso aos serviços de saúde é direito de todos e se alicerça nos princípios que regem o Sistema Único de Saúde (SUS). Considerando o princípio da equidade no acesso aos serviços de saúde, a acessibilidade em comunicação configura instrumento fundamental para a garantia de direitos, em especial, para os cidadãos surdos. Assim, está previsto que o sistema de saúde deve considerar a diferenciação linguística daqueles que usam a Língua Brasileira de Sinais (Libras) como primeira língua, minimizando barreiras de acesso. O presente trabalho objetiva conhecer experiências de pessoas surdas no acesso ao sistema de saúde, visando identificar principais demandas, barreiras de acesso e estratégias adotadas por esses usuários. Trata-se de uma pesquisa qualitativa que adota o método psicodramático para a realização de entrevistas em profundidade. Participaram quatro pessoas surdas e adultas, que usam a Libras como primeira língua. As entrevistas foram realizadas individualmente, em Libras, e registradas em vídeo. Seus conteúdos foram interpretados, transcritos, traduzidos e processados como previsto no método psicodramático. Na apresentação e discussão dos resultados, identificou-se que a barreira linguística, presente na dificuldade de comunicação entre pacientes e profissionais de saúde, gera múltiplas consequências, tais como dificuldades de acesso à informação em saúde, dependência de interpretação familiar, comprometimento da autonomia em saúde e maior exposição a riscos em situação de emergência. Discute-se, também, a importância do mecanismo de controle e participação social para resgatar o protagonismo da população surda no acesso aos serviços. Sugere-se que a formação superior dos profissionais de saúde inclua as necessidades da população surda e que seja incentivado que as gestões de saúde promovam ações de educação continuada que abordem essas demandas.-
Descrição: dc.descriptionCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).-
Descrição: dc.descriptionAccess to health services is a right of all citizens, based in Brazilian national health system. As a principle of equity in access to health services, having accessibility in communication is a fundamental instrument for guaranteeing rights, especially for deaf citizens. Thus, it is foreseen that the health system should consider a linguistic differentiation from those who use Brazilian Sign Language as a first language, minimizing access barriers. The research aims to know the experiences of deaf people accessing the health system, seeking to identify their main demands, barriers to access and strategies used by deaf users. It is a qualitative research that adopts the psychodramatic method for conducting in depth interviews. Four deaf people were interviewed, individually, using Brazilian Sign Language. The interviews were recorded on video for analysis. The data were interpreted, transcribed, translated and analyzed through theoretical processing provided for in the psychodramatic method. In the presentation and discussion of the results, it was identified that the language barrier, present in the difficulty of communication between patients and health professionals, generates multiple consequences, such as difficulties in accessing health information, dependence on family interpretation, compromised autonomy in health and greater exposure to risks in emergency situations. It also discusses the importance of social controlling and participation mechanisms to rescue the protagonism of the deaf population in accessing services. It is suggested that the higher education of health professionals include the needs of the deaf population and that health management be encouraged to promote continuing education actions that address these demands.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.-
Palavras-chave: dc.subjectServiços de saúde - acesso-
Palavras-chave: dc.subjectDireito à saúde-
Palavras-chave: dc.subjectLíngua brasileira de sinais-
Palavras-chave: dc.subjectSurdez-
Palavras-chave: dc.subjectPessoas com deficiência auditiva-
Título: dc.titleA saúde é para todos? : experiências de pessoas surdas no acesso à saúde-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.