"Transição de cor" : raça e abolição nas estampas de negros de Angelo Agostini na revista iIllustrada

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.creatorBalaban, Marcelo-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T17:21:40Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T17:21:40Z-
Data de envio: dc.date.issued2016-08-31-
Data de envio: dc.date.issued2016-08-31-
Data de envio: dc.date.issued2015-07-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/21349-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://dx.doi.org/10.1590/2237-101X016031003-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/606053-
Descrição: dc.descriptionAngelo Agostini ficou conhecido como um dos principais caricaturistas do Brasil oitocentista. Sua fama se deveu, em grande medida, às imagens que publicou protagonizadas por personagens negros. Nelas, o artista italiano teria sido incansável defensor da causa dos escravos. Neste artigo, busco analisar essas imagens por meio de outras chaves interpretativas. No lugar de festejar o implacável abolicionista, procuro desvendar os sentidos raciais e as lógicas políticas que informavam seus desenhos de negros. Em cada um deles, o ítalo-brasileiro Agostini produz, e reproduz, estereótipos sobre os sujeitos tematizados, definindo seus personagens negros ora como vadios, ora como perigosos e irracionais, ou, ainda, como passivos diante dos horrores da instituição servil. Misturando raça e escravidão na criação desses desenhos, Agostini produz, nesse processo, a própria imagem como um dos heróis da grande causa. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT-
Descrição: dc.descriptionAngelo Agostini is widely known as one of the most important cartoonists of nineteen-century Brazil. His fame was built on the many images of Blacks he published. In those images, the Italian artist seems to be a tireless defender of the slaves' cause. This article analyzes such images through a different set of interpretive keys. Instead of celebrating the implacable abolitionist, it seeks the underlying racial meanings, and the political logic of his caricatures of Black people. The Italian-Brazilian artist created, and recreated stereotypes of his subjects, defining those characters as sluggards, or as dangerous and irrational, and even as passive under the horrors of slavery. Mixing slavery and race to produce his drawings, Agostini created his own reputation as an abolitionist hero.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Publicador: dc.publisherPrograma de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsTopoi (Rio de Janeiro) - This is an open-access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-101X2015000200418&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 30 ago. 2016.-
Palavras-chave: dc.subjectLiberdade-
Palavras-chave: dc.subjectAbolicionistas-
Palavras-chave: dc.subjectCaricaturas e desenhos humorísticos-
Título: dc.title"Transição de cor" : raça e abolição nas estampas de negros de Angelo Agostini na revista iIllustrada-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.