Como decidem os ministros do STF : pontos ideais e dimensões de preferências

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorMueller, Bernardo Pinheiro Machado-
Autor(es): dc.creatorFerreira, Pedro Fernando de Almeida Nery-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T17:18:25Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T17:18:25Z-
Data de envio: dc.date.issued2013-07-15-
Data de envio: dc.date.issued2013-07-15-
Data de envio: dc.date.issued2013-07-15-
Data de envio: dc.date.issued2013-02-18-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/13565-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/604734-
Descrição: dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Economia, 2013.-
Descrição: dc.descriptionEsse trabalho analisa padrões de divergência dos ministros no STF, estimando pontos ideais de preferências para o período 2002-2012, através de um modelo espacial (NOMINATE). Os ministros se dividem em duas dimensões: uma ligada aos interesses do governo federal na economia e outra ligada à autonomia dos Estados. A maioria formada no Supremo tende a ser favorável a esses interesses do governo e desfavorável a um papel maior para os Estados na federação. A Presidente Dilma Rousseff terá a oportunidade de alterar a composição da corte de modo a torná-la ainda mais favorável ao Executivo federal. Os resultados indicam ainda que nenhuma das principais teorias de comportamento judicial explica isoladamente os votos dos ministros do Supremo Tribunal Federal. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT-
Descrição: dc.descriptionThis work studies divergence patterns on the judges of the Brazilian Federal Supreme Court, estimating ideal preference points for the 2002-2012 period with a spatial model (NOMINATE). Two dimensions appears: one related to the economic policies of the federal government and another related to the autonomy of the Brazilian States. The majority of the court is favorable to the interests of the government and not favorable to a larger role for the States in the federation. President Dilma Rousseff will have the opportunity to alter the composition of the court and make it even more favorable to the federal government. The results also indicate that none of the main theories of judicial behavior explain alone the votes of judges of the Supremo Tribunal Federal.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Direitos: dc.rightsA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.-
Palavras-chave: dc.subjectBrasil. Supremo Tribunal Federal-
Palavras-chave: dc.subjectTribunais supremos - Brasil-
Palavras-chave: dc.subjectPoder Judiciário-
Título: dc.titleComo decidem os ministros do STF : pontos ideais e dimensões de preferências-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.