Representação social de mães acerca da adolescência

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorDytz, Jane Lynn Garrison-
Autor(es): dc.creatorSouto, Iracema de Abrantes-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T17:16:56Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T17:16:56Z-
Data de envio: dc.date.issued2010-02-08-
Data de envio: dc.date.issued2010-02-08-
Data de envio: dc.date.issued2010-02-08-
Data de envio: dc.date.issued2008-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/3557-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/604149-
Descrição: dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2008.-
Descrição: dc.descriptionEste trabalho teve como objetivo identificar a representação social de mães acerca da adolescência, buscando entender as formas como elas elaboram esse conhecimento e como se processam no dia-a-dia, a partir de um determinado contexto social e cultural, as relações entre elas e os filhos adolescentes. Para tanto, utilizou-se o referencial da Teoria das Representações Sociais, numa perspectiva etnográfica. Participaram deste estudo 14 mães, com idade entre 30 e 55 anos, residentes em uma região urbana periférica de baixa renda do Distrito Federal, que buscaram atendimento no centro de saúde em 2006. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas, após obtenção de consentimento livre e esclarecido. Para a organização e análise dos dados foram utilizados os recursos do software Alceste. Os dados foram sistematizados em dois eixos: trajetória da família e a adolescência, compostos por quatro classes temáticas: 1. Contexto familiar e maternidade; 3. A trajetória da mãe; 2. A trajetória do adolescente; 4. A percepção da mãe sobre adolescência. Os resultados indicam que adolescência é representada como um tempo ainda em construção em que o negativo, o arriscado delineiam este processo. Elas sentemse surpreendidas com as mudanças de comportamento do(a) filho(a) adolescente. Para falar do adolescente e de sua relação com ele ou ela, as mães fazem um resgate do contexto familiar por ocasião da gestação e do nascimento do(a) filho(a) e discorrem sobre situações de abandono, carência afetiva e social. Tais lembranças afloram o conteúdo de medo e culpa. Conclui-se que há formas diferentes de conceber a adolescência, corroborando, assim, a tendência mais recente que propõe a adolescência como uma condição construída historicamente. _________________________________________________________________________________________ ABSTRACT-
Descrição: dc.descriptionThe purpose of this study was to identify the social representation that mothers have about adolescence, seeking to understanding the ways in which they elaborate this knowledge and how they relate to their adolescent children on a daily basis, within a specific social and cultural context. For such, an ethnographic perspective of the Social Representation Theory was used. Fourteen mothers participated in this study, aged from 30 to 55 years, residents of a low income urban region located in the periphery of the Federal District, all of which had attended the health care center in 2006. Semi-structured interviews were carried out, following informed consent. For data organization and treatment the software ALCESTE was used. Data was classified into two axis: family history and adolescence, comprised by four thematic classes: 1. Family context and maternity; 3. The adolescent’s history; 2. The mother’s history; 4. The mother´s perception about adolescence. The results point out that adolescence is represented as a time still in construction where the negative, the hazardous delineate this process. They are surprised with the behavior changes in their son or daughter. In order to talk about the adolescent and their relationship with him or her, the mothers review the family’s context at the time of his or her’s gestation and birth and talk about situations of abandonment, social and emotional deprivations. Such memories bring forth the content of fear and guilt. The author concludes that there are different forms of conceiving adolescence, thus confirming the most recent tendency which considers adolescence as a historically constructed condition.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Palavras-chave: dc.subjectMães e filhos-
Palavras-chave: dc.subjectAdolescência-
Palavras-chave: dc.subjectRepresentações sociais-
Título: dc.titleRepresentação social de mães acerca da adolescência-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.