Tratamentos precoces classe III com ancoragem esquelética comparado a ortopedia facial: revisão sistemática

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorAguiar, Juliana Pedrine Dias-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-11T01:42:55Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-11T01:42:55Z-
Data de envio: dc.date.issued2019-10-21-
Data de envio: dc.date.issued2019-10-21-
Data de envio: dc.date.issued2019-08-22-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/190813-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/190813-
Descrição: dc.descriptionPós-graduação em Ciência e Tecnologia Aplicada à Odontologia - ICT-
Descrição: dc.descriptionA classe III esquelética representa a discrepância no crescimento ósseo maxila e/ou mandíbula, podendo estar associada à retrusão maxilar, protrusão mandibular ou combinação das duas condições. Essas condições refletem em prejuízos estéticos e funcionais ao paciente. Recentemente, a ancoragem esquelética foi idealizada como alternativa no tratamento precoce da classe III. Essa técnica tem o objetivo corrigir a discrepância óssea, minimizar os efeitos adversos da máscara facial e eliminar o aparato extra bucal. O objetivo do trabalho foi avaliar a efetividade da ancoragem esquelética comparada a ortopedia facial no tratamento de classe III esquelética. As buscas foram realizadas na CENTRAL, MEDLINE, EMBASE, LILACS. Foram incluídos 9 artigos nas análises qualitativa e quantitativa. Foi utilizado modelo de efeito randômico, diferenças de média e intervalo de confiança 95%. Para o posicionamento anteroposterior da maxila, os resultados foram estatisticamente significativos para os tratamentos com AE (Maxila) + MF ou AE (Maxila e Mandíbula) quando comparados aos controles ERM + MF ou não tratados. Para o posicionamento anteroposterior da mandíbula, não houve diferenças estatisticamente significativas. Para maxila em relação à mandíbula, os resultados demonstraram valores de ANB e Wits favoráveis ao tratamento AE (Maxila e Mandíbula) e AE (Maxila) + MF quando comparados a pacientes não tratados, porém quando comparado com ERM + MF não houve diferença significativa. O tratamento com ancoragem esquelética é efetivo para o tratamento de Classe III esquelética em crianças e adolescentes. Os benefícios com o avanço da maxila podem ser observados com a melhora dos parâmetros cefalométricos e a possibilidade de postergar o tratamento para idade de 10 a 13,5 anos. Novos ensaios clínicos randomizados devem ser realizados com o objetivo de aumentar o grau de clareza na tomada das decisões clínicas, assim como mais trabalhos para comparação de outros tipos de tratamento para classe III esquelética.-
Descrição: dc.descriptionSkeletal class III represents the discrepancy in maxillary and / or mandible bone growth and may be associated with maxillary retrusion, mandibular protrusion or a combination of both conditions. These conditions reflect aesthetic and functional damage to the patient. Recently, skeletal anchorage has been devised as an alternative in the early treatment of class III. This technique aims to correct the bone discrepancy, minimize the adverse effects of the face mask and eliminate the extraoral apparatus. The objective of this study was to evaluate the effectiveness of skeletal anchorage compared to facial orthopedics in skeletal class III treatment. Searches were performed at CENTRAL, MEDLINE, EMBASE, LILACS. Nine articles were included in the qualitative and quantitative analyzes. A random effect model, mean differences and 95% confidence interval were used. For anteroposterior positioning of the maxilla, the results were statistically significant for treatments with AE (Maxilla) + MF or AE (Maxilla and Mandible) when compared to ERM + MF or untreated controls. For anteroposterior positioning of the mandible, there were no statistically significant differences. For maxilla in relation to the mandible, the results showed favorable ANB and Wits values for treatment AE (Maxilla and Mandible) and AE (Maxilla) + MF when compared to untreated patients, but when compared with ERM + MF there was no significant difference. Skeletal anchorage treatment is effective for the treatment of skeletal Class III in children and adolescents. The benefits of maxillary advancement can be seen with improved cephalometric parameters and the possibility of postponing treatment to ages 10 to 13.5 years. Further randomized clinical trials should be conducted to increase clarity in clinical decision making, as well as further work to compare other types of skeletal class III treatment.-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Direitos: dc.rightsclosedAccess-
Palavras-chave: dc.subjectClasse III esquelética-
Palavras-chave: dc.subjectAncoragem esquelética-
Palavras-chave: dc.subjectOrtopedia facial.-
Palavras-chave: dc.subjectMalocclusion. Angle class III-
Palavras-chave: dc.subjectExtraoral traction appliances-
Palavras-chave: dc.subjectOrthodontic anchorage procedures-
Título: dc.titleTratamentos precoces classe III com ancoragem esquelética comparado a ortopedia facial: revisão sistemática-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.