Análise de indicadores ambientais em sistemas de informações geográficas: estudo aplicado à avaliação ambiental integrada de bacias hidrográficas

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorSales, Jomil Costa Abreu-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-11T01:42:51Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-11T01:42:51Z-
Data de envio: dc.date.issued2019-10-21-
Data de envio: dc.date.issued2019-10-21-
Data de envio: dc.date.issued2019-08-30-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/190797-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/190797-
Descrição: dc.descriptionOutra-
Descrição: dc.descriptionPós-graduação em Ciências Ambientais - Sorocaba-
Descrição: dc.descriptionHistoricamente a preocupação em busca da sustentabilidade é motivo de mobilização das sociedades desde as primeiras civilizações. Ao longo dos anos, a gestão do meio ambiente é um assunto que vem cada vez mais sendo estudado e aprimorado com o intuito de promover a coexistência equilibrada do homem com a natureza. Atualmente uma das metodologias de Avaliação Ambiental Integrada mais difundida é o modelo conhecido como FPEIR (Força Motriz, Pressão, Estado, Impacto e Resposta) que permite uma avaliação contínua do estado do meio ambiente. A Força-Motriz representa as atividades humanas, tais atividades produzem Pressões no meio ambiente que podem afetar seu Estado, o qual, por sua vez, poderá acarretar Impactos na saúde humana e nos ecossistemas, levando a sociedade a emitir Respostas por meio de medidas, as quais podem ser direcionadas a qualquer elemento do sistema. Desta forma, o presente trabalho, tem o objetivo de propor o aperfeiçoamento da matriz FPEIR, a fim de promover a avaliação de bacias hidrográficas, utilizando os Sistemas de Informações Geográficas (SIGs) como ferramenta para a interpretação dos indicadores ambientais. A área de estudo selecionada foi a Bacia Hidrográfica do Rio Una (BHRU), importante tributário do Rio Sorocaba e formador da represa de Itupararanga. Os métodos utilizados para a implementação da Força Motriz foram as análises da dinâmica demográfica e social, demografia, Índice de Desenvolvimento Humano, dinâmica econômica e ocupação do território. Para análise da Pressão exercida na bacia foram levantados a dinâmica do uso e ocupação da terra e o potencial de degradação dos recursos hídricos. Para a análise do Estado foram utilizadas variáveis geomorfométricas, químicas e ecológicas. Os indicadores de Impacto analisaram o Potencial de Degradação dos Recursos Hídricos e a Perda de Solo das áreas de Agricultura inseridas em APP. Por fim, a Resposta analisou a Projeção Futura da Expansão Antrópica e a Alteração do Fluxo de Carbono da BHRU. Como resultado da Força Motriz, foi obtida uma diminuição na taxa de crescimento geométrico anual da BHRU entre os anos e 2000 a 2010. De acordo com o último Censo Demográfico, a população da área de estudo é de 30.352 habitantes. Apenas 1 dos setores censitários da BHRU, localizado na região sul da bacia foi classificado com IDH Médio, sendo 31 setores, em sua maioria localizada na porção média da bacia, classificados como IDH Alto e por fim, 11 setores localizados na região Norte, próxima a zona urbana são classificados como IDH Muito Alto. De acordo com os resultados obtidos na análise da Força Motriz, foi notado nas últimas décadas um crescimento populacional pronunciado. Essa expansão e crescente aumento na demanda por recursos naturais resultam na Pressão exercida sobre a qualidade do meio ambiente da BHRU. Os resultados da Pressão demonstraram aumento na perda de áreas naturais da BHRU, sendo que aproximadamente 70% de todas as perdas entre 1991 a 2016 foram para o uso agrícola. A partir dos resultados do Potencial de Degradação dos Recursos Hídricos foi possível concluir que as desigualdades sociais com relação ao acesso de saneamento básico de qualidade estão mais presentes na área rural da área de estudo, região centro e sul da Bacia Hidrográfica, entretanto, a área urbana do município tem 100% do seu esgoto tratado. Os resultados das condições do Estado do meio ambiente incluem componentes físicos, químicas e naturais. De acordo com os resultados obtidos, a BHRU pode ser considerada uma bacia bem ramificada, apresentando rios de quinta ordem, com densidade de drenagem mediana, refletindo as condições geomorfológicas da região. De maneira geral, as sub-bacias apresentam forma mais alongada à quadrática, com fator de forma e índice de compacidade distantes da unidade, o que indica maior tempo de concentração do escoamento superficial até atingir a saída da bacia e menores tendências a enchentes. No que diz respeito as variáveis de IQA o resultado obtido foi a ausência de correlação dos níveis de Nitrato e Fosforo total das águas em função da expansão das áreas de uso agrícola ao longo de 10 anos avaliados. Referente ao vigor vegetativo da BHRU, obteve-se como resultado a existência de grande fragilidade vegetal, assim como baixo teor de umidade nas áreas de mata da bacia, de acordo com os parâmetros avaliados. Com o resultado para a análise do Potencia de Degradação de Recursos Hídricos podemos deduzir que as áreas de predomínio agrícola têm as piores condições de saneamento, tratamento de água e conservação das áreas de preservação permanente. Com relação à perda de solo das áreas de agricultura em APP obtivemos que 87,75% das bacias de captação apresentam perdas de solos abaixo de 10 t/ha.ano podendo ser classificada, de baixa susceptibilidade à erosão e 3,94% perdem entre 10 e 50 /ha.ano de solo por ano. Como Respostas aos impactos causados obtivemos que houve grande perda da cobertura vegetal e considerável aumento das áreas uso agrícola na BHRU ao longo das últimas décadas, afetando o potencial do sequestro de carbono das áreas naturais. Desta forma foi possível concluir com as análises obtidas a partir dos indicadores ambientais que a metodologia empregada é eficiente como ferramenta de gestão, não só de bacias hidrográficas, mas para municípios e até outras escalas político-geográficas. Podendo haver ajustes nos indicadores para adequar a realidade de outras áreas de trabalho. Portanto, viabilizando a replica dessa metodologia para outras áreas de estudo permitindo a produção de um relatório periódico para o monitoramento de áreas de interesse ambiental.-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectAvaliação Ambiental Integrada-
Palavras-chave: dc.subjectIndicadores Ambientais-
Palavras-chave: dc.subjectFPEIR-
Palavras-chave: dc.subjectSIG-
Título: dc.titleAnálise de indicadores ambientais em sistemas de informações geográficas: estudo aplicado à avaliação ambiental integrada de bacias hidrográficas-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.