Dinâmica e (re)organização espacial dos sistemas ambientais atuantes em bacias hidrográficas do domínio Tropical Atlântico

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorOliveira, Cristina Silva de-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-11T01:42:48Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-11T01:42:48Z-
Data de envio: dc.date.issued2019-10-17-
Data de envio: dc.date.issued2019-10-17-
Data de envio: dc.date.issued2019-09-25-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/190766-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/190766-
Descrição: dc.descriptionConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)-
Descrição: dc.descriptionCNPq: 141915/2016-1-
Descrição: dc.descriptionPós-graduação em Geografia - FCT-
Descrição: dc.descriptionA variedade de escalas espaciais e temporais ligadas aos problemas geoecológicos está gradativamente se expandindo nos últimos anos, exigindo dos pesquisadores uma compreensão multiescalar nas pesquisas ambientais. Apesar da crescente demanda por estudos que considerem mais de um nível de organização espacial e suas variações, constata-se uma escassez bibliográfica sobre o assunto e poucos autores e trabalhos que se preocupam em articular propostas de classificação com políticas públicas orientadas ao planejamento do uso e ocupação da terra. Nesse sentido, o conhecimento da estrutura e função dos sistemas ambientais são os pilares para formulação e implementação de políticas pautadas no planejamento e organização espacial. Diante disso, o planejamento ambiental baseado nos princípios científicos instrumentalizados pela teoria geossistêmica, deve considerar a complexidade inerente à articulação entre os campos naturais, tecnológicos e culturais, ou seja, compreender as inter-relações que se estabelecem entre processos históricos, econômicos, ecológicos e culturais no desenvolvimento do dinamismo produtivo da sociedade e considerá-las na efetivação das políticas. Em decorrência disso, a tese objetiva contribuir para o entendimento da dimensão geoecológica dos processos responsáveis pelas estruturas dos geossistemas da bacia hidrográfica do ribeirão Marmelos (municípios de Juiz de Fora e Chácara) a partir das alterações ocasionadas pelos processos de urbanização e sua influência na dinâmica e re-organização espacial da área. Parte-se da hipótese de que os processos relacionados à consolidação da ocupação da terra na bacia hidrográfica do Ribeirão Marmelos datam do período histórico relacionado às conquistas portuguesas em Minas Gerais e expansão territorial para a Zona da Mata Mineira nos séculos XVII e XVIII. Em resposta à intensificação dos usos e ocupação da terra na área, alterações sistêmicas desencadearam uma re-organização espacial dos arranjos espaciais dos geossistemas. Este processo se acentua a partir da difusão da urbanização no município e modificações das morfologias e elementos constituintes da estrutura do geossistema. A partir do referencial teórico-metodológico utilizado, busca-se depreender como estrutura e processos geoecológicos orquestram a organização espaço-temporal no nível de mapeamento das fácies e grupos de fácies, segundo proposta de Sochava (1977, 1978). A delimitação temporal proposta para tese compreende o período de construção da estrada União e Indústria (1861) até os dias atuais, significativo para a história da expansão urbana e econômica local. O processamento das informações e a interpretação dos resultados levaram em conta os dados dos levantamentos de campo (levantamentos fitossociológicos), análise morfológica dos solos, dados oriundos de imagens de satélite (Landsat 8) para obtenção da temperatura de superfície e ferramentas de análise integrada de dados espaciais, disponíveis nos sistemas de informação geográfica (SIG). Foram confeccionados mapas, pirâmides de vegetação, perfis geoecológicos e quadros síntese da área e diagramas de relacionamento. Todos esses procedimentos foram analisados sob o prisma teórico-metodológico geossistêmico, especialmente referente à sua base estrutural, funcional e dinâmica, num viés multitemporal e multiescalar, confrontando os pressupostos teóricos da linha francesa, cujo maior expoente é Georges Bertrand (1968, 1971, 2007, 2008) e os subsídios advindos da linha russo-soviética através de Viktor Sochava (1970, 1977, 1978). Os resultados obtidos através da proposta de classificação possibilitou a segmentação da área em cinco grupos de fácies que totalizaram 31 fácies distribuídas nos alto, médio e baixo curso da bacia para a escala utilizada. Os cinco grupos foram classificados segundo sua dinâmica atual em geossistemas regressivos com geomorfogênese ligada à ação antrópica; áreas de pastagens artificiais extensivas com dinâmica regressiva; áreas de vegetação residual em biostasia subclimácica e paraclimácica; áreas de usos intensivos em pequenas propriedades rurais em resistasia antrópica; geossistemas regressivos com geomorfogênese ligada à ação antrópica. A proposta conceitual e metodológica da teoria geossistêmica apresentada por Sochava e Betrand forneceran bases lógicas importantes para a compreensão das ligações multiescalares entre a estrutura, a função e dinâmica do geossistema. Mais do que isso, construíram um sistema de classificação e cartografia de paisagens e geossistemas que possibilitam a síntese dos elementos sem perder de vista a complexidade das relações e a dinâmica espacial, interessante para a gestão e ordenamento territorial que podem ser adaptadas à intervenção política e à participação pública em nível regional e/ou local.-
Descrição: dc.descriptionThe range of spatial and temporal scales linked to geoecological problems are gradually expanding in recent years, requiring researchers to have a multiscale understanding in environmental research. Despite the growing demand for studies that consider more than one level of spatial organization and its variations, there is a bibliographic shortage on the subject and few authors and works that are concerned with articulating classification proposals with public policies oriented to the use and planning land occupation. In this sense, knowledge of the structure and function of environmental systems are the pillars for the formulation and implementation of policies based on spatial planning and organization. Therefore, environmental planning based on scientific principles instrumentalized by geosystemic theory must consider the complexity inherent in the articulation between the natural, technological and cultural fields, that is, to understand the interrelationships established between historical, economic, ecological and social processes on development of the productive dynamism of society and consider them in the implementation of policies. As a result, the thesis aims to contribute to the understanding of the geoecological dimension of the processes responsible for the geosystem structures of the Marmelos river basin (municipalities of Juiz de Fora and Chácara) from the changes caused by the urbanization processes and their influence on the dynamics and re-organization of spatial area. Begin from the hypothesized that the processes related to the consolidation of land occupation in the Marmelos river watershed date from the historical period related to the Portuguese conquests in Minas Gerais and territorial expansion to the Zona da Mata Mineira in the 17th and 18th centuries. In response to the intensification of land use and occupation in the area, systemic changes triggered a spatial re-organization of spatial arrangements of geosystems. This process is accentuated by the diffusion of urbanization in the municipality and modifications of the morphologies and constituent elements of the geosystem structure. From the theoretical-methodological framework used, we seek to understand how geoecological structure and processes orchestrate the spatiotemporal organization at the mapping level of facies and groups of facies, according to Sochava's proposal (1977, 1978). The temporal delimitation proposed for this thesis comprises the period of construction of the Union and Industry road (1861) to the present day, significant for the history of local urban and economic expansion. Information processing and interpretation of results took into account field survey data (phytosociological surveys), soil morphological analysis, satellite imagery data (Landsat 8) to obtain surface temperature and integrated soil analysis tools, spatial data, available in geographic information systems (GIS). Maps, vegetation pyramids, geoecological profiles and area synthesis charts and relationship diagrams were made. All these procedures were analyzed under the geosystemic theoretical-methodological perspective, especially regarding their structural, functional and dynamic basis, in a multitemporal and multiscale bias, confronting the theoretical assumptions of the French line, whose greatest exponent is Georges Bertrand (1968, 1971, 2007, 2008) and subsidies coming from the Russian-Soviet line through Viktor Sochava (1970, 1977, 1978). The results obtained through the proposed classification allowed the segmentation of the area into five facies groups that totaled 31 facies distributed in the upper, middle and lower course of the basin for the scale used. The five groups were classified according to their current dynamics in regressive geosystems with geomorphogenesis linked to anthropic action; extensive artificial pasture areas with regressive dynamics; residual vegetation areas in subclimatic and paraclimatic biostasis; areas of intensive use on small farms in anthropic resists; regressive geosystems with geomorphogenesis linked to anthropic action. The conceptual and methodological proposal of the geosystemic theory presented by Sochava and Betrand provided important logical bases for understanding the multiscale links between structure, function and dynamics of geosystem. More than that, they built a system of classification and cartography of landscapes and geosystems that allow the synthesis of the elements without losing sight of the complexity of relations and spatial dynamics, interesting for the management and territorial planning that can be adapted to political intervention and public participation at regional and/or local level.-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectEstrutura-
Palavras-chave: dc.subjectDinâmica-
Palavras-chave: dc.subjectPolíticas ambientais-
Palavras-chave: dc.subjectProcessos geoecológicos-
Palavras-chave: dc.subjectGeossistemas-
Palavras-chave: dc.subjectUso da terra-
Palavras-chave: dc.subjectStructure-
Palavras-chave: dc.subjectDynamics-
Palavras-chave: dc.subjectLand use-
Palavras-chave: dc.subjectEnvironmental policies-
Palavras-chave: dc.subjectGeoecological processes-
Palavras-chave: dc.subjectGeosystems-
Título: dc.titleDinâmica e (re)organização espacial dos sistemas ambientais atuantes em bacias hidrográficas do domínio Tropical Atlântico-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.