The invisible blackness of Harryette Mullen's poetry: writing, miscegenation and what remais to be seen

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorAmorim, Lauro Maia-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-11T00:58:42Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-11T00:58:42Z-
Data de envio: dc.date.issued2015-04-27-
Data de envio: dc.date.issued2014-06-24-
Data de envio: dc.date.issued2015-04-27-
Data de envio: dc.date.issued2014-06-24-
Data de envio: dc.date.issued2012-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://seer.fclar.unesp.br/letras/article/view/5087/4685-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/180424-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/180424-
Descrição: dc.descriptionThis essay addresses the poetics of Harryette Mullen, an awarded African-American female poet whose work questions the boundaries that shape the expectations for accessible intelligibility in African-American literature. Mullen’s poems skirt the edges of intelligibility by going beyond the expectations for a visible/intelligible form of language that would embrace the experience of blackness. I argue that writing in Mullen’s poetry works as process of miscegenation by playing on the illegibility of blackness, beyond a visible line of distinction between what is or should be considered part of blackness itself, which engages new forms of reflection on poetry as a politically meaningful tool for rethinking the role of the black (female) poet within the black diaspora.-
Descrição: dc.descriptionEste ensaio aborda a poética de Harryette Mullen, poetisa afro-americana cuja obra questiona os limites que moldam as expectativas pela inteligibilidade acessível na literatura afro-americana. Os poemas de Mullen exploram as bordas da inteligibilidade, avançando para além das expectativas por uma forma visível/inteligível de linguagem que abarcaria a experiência da negritude. Argumenta-se que a escrita na poesia de Mullen funciona como um processo de miscigenação ao jogar com a ilegibilidade da negritude, para além de uma linha visível de distinção entre o que é ou que deveria ser considerado como parte apropriada da negritude, o que possibilita novas formas de reflexão sobre a poesia como um instrumento politicamente significativo para se repensar o papel da poetisa e do poeta negros no espaço da diáspora negra.-
Formato: dc.format101-120-
Idioma: dc.languageen-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Relação: dc.relationRevista de Letras-
Relação: dc.relation0,100-
Relação: dc.relation0,100-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectHarryette Mullen-
Palavras-chave: dc.subjectPoesia-
Palavras-chave: dc.subjectEscrita-
Palavras-chave: dc.subjectMiscigenação-
Palavras-chave: dc.subject(In)visibilidade-
Palavras-chave: dc.subjectHarryette Mullen-
Palavras-chave: dc.subjectPoetry. Writing-
Palavras-chave: dc.subjectMiscegenation-
Palavras-chave: dc.subject(In)visibility-
Título: dc.titleThe invisible blackness of Harryette Mullen's poetry: writing, miscegenation and what remais to be seen-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.