Avaliação da polarização de macrófagos em coculturas com células de Schwann infectadas pelo Mycobacterium leprae.

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorCarra, Bruna Beatriz Gimenez-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-10T23:42:38Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-10T23:42:38Z-
Data de envio: dc.date.issued2018-11-26-
Data de envio: dc.date.issued2018-11-26-
Data de envio: dc.date.issued2018-10-25-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/164790-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/164790-
Descrição: dc.descriptionFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)-
Descrição: dc.descriptionProcesso FAPESP: 2016/16073-5-
Descrição: dc.descriptionPós-graduação em Doenças Tropicais - FMB-
Descrição: dc.descriptionA infecção pelo Mycobacterium leprae (ML) estimula um processo de desdiferenciação e proliferação das células de Schwann (SCs) que pode contribuir para a disseminação do bacilo. Os macrófagos (MOs) são células efetoras da resposta imune que promovem a eliminação de patógenos, entretanto, na hanseníase são colonizados pelo ML. Sabe-se que os MOs podem apresentar uma polarização funcional na qual os MOs M1 apresentam características pró-inflamatórias e microbicidas enquanto os MOs M2 atuam na reparação tecidual e possuem perfil anti-inflamatório. SCs infectadas pelo ML produzem mediadores capazes de interferir com a função dos MOs aumentando sua sobrevida e promovendo sua migração. Embora diferentes programas funcionais tenham sido observados em MOs de pacientes com formas polares da hanseníase a influência de SCs nesse processo não é sabida. Neste estudo avaliamos se SCs infectadas pelo ML podem interferir na polarização de MOs murinos derivados de medula óssea. Para tanto, culturas primárias de SCs murinas foram infectadas experimentalmente com bacilos viáveis e cocultivadas com MOs. Nossos resultados indicam que a produção de óxido nítrico foi baixa nas culturas de MOs após a infecção com o bacilo, mas mostrou-se aumentada nas coculturas de MOs e SCs infectadas pelo ML. A infecção com ML não induziu produção significante das citocinas IL-6, IL-10 e TNF em culturas de MOs e SCs, entretanto, a interação entre MOs e SCs infectadas com o bacilo resultou em aumento na produção de citocinas, especialmente IL-10, o que levou a uma diminuição na razão TNF/IL-10. Aliado a isso, verificamos diminuição na expressão de marcadores M1 (CD86 e iNOS) e aumento na expressão do marcador CD206 característico de MOs com perfil M2. Em conclusão, a infecção de SCs pelo ML é capaz de interferir com a polarização funcional de MOs levando a diferenciação de um perfil M2-like por induzir a ocorrência de um ambiente anti-inflamatório.-
Descrição: dc.descriptionMycobacterium leprae (ML) infection stimulates dedifferentiation and proliferation of Schwann cells (SCs) that may contribute to the spread of the bacillus. Macrophages (MOs) are effector cells of the immune response that promote the elimination of pathogens, however, in leprosy they are colonized by ML. It is known that MOs can present a functional polarization in which M1 MOs show pro-inflammatory and microbicidal activities while M2 MOs act in tissue repair presenting an anti-inflammatory profile. SCs infected by ML produce mediators able to interfere with MOs function, increasing their survival and promoting their migration. Although different functional programs have been observed in MOs from patients with polar forms of leprosy, the influence of SCs in this process is not known. In this study we evaluated whether SCs infected with ML could interfere in the polarization of murine MOs derived from bone marrow. For this purpose, primary cultures of murine SCs were experimentally infected with viable bacilli and co-cultivated with MOs. Our results indicate that nitric oxide production was low in cultures of MOs after infection with the bacillus, but it was increased in the co-cultures of MOs and ML-infected SCs. The infection with ML did not induce significant production of IL-10, TNF and IL-6 in cultures of MOs and SCs, however, the interaction between MOs and ML infected-SCs resulted in increased production of cytokines, mainly IL-10, inducing a decrease in the TNF/IL-10 ratio. In addition, we observed a decrease in the expression of M1 markers (CD86 and iNOS) and an increase in the expression of the CD206, a marker of M2 MOs. In conclusion, ML infection of SCs is able to interfere with polarization of MOs resulting in a M2-like profile by inducing the occurrence of an anti-inflammatory environment.-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectMycobacterium leprae-
Palavras-chave: dc.subjectSchwann Cells-
Palavras-chave: dc.subjectmacrophages-
Palavras-chave: dc.subjectmacrophage polarization-
Palavras-chave: dc.subjectCélulas de Schwann-
Palavras-chave: dc.subjectMacrófagos-
Palavras-chave: dc.subjectPolarização de MOs-
Título: dc.titleAvaliação da polarização de macrófagos em coculturas com células de Schwann infectadas pelo Mycobacterium leprae.-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.