Palinologia de Amaranthaceae e Araliaceae nativas em fragmentos florestais remanescentes da região noroeste do Estado de São Paulo

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorLandi, Lorrayne Albernaz Domingues Camilo-
Autor(es): dc.creatorGasparino, Eduardo Custódio-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-10T23:42:20Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-10T23:42:20Z-
Data de envio: dc.date.issued2018-11-12-
Data de envio: dc.date.issued2018-11-12-
Data de envio: dc.date.issued2018-01-01-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://dx.doi.org/10.1590/2236-8906-34/2017-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/158234-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/158234-
Descrição: dc.descriptionABSTRACT We investigated the pollen morphology of two native species of Amaranthaceae and three of Araliaceae from forest fragments in order to contribute with the palynology, taxonomy, and conservation of degraded areas. The pollen grains were acetolyzed, measured, qualitatively described and photographed using light and scanning electron microscopy. Quantitative data were analyzed by descriptive statistics. The pollen grains of Amaranthaceae are monads, small, apolar, spherical, pantoporate, and with metareticulate exine. For Araliaceae, the pollen grains are monads, small to medium, isopolar, subcircular to subtriangular, oblato-spheroidal to subprolate, 3-colporate, sometimes with vestibulum, lalongate endoaperture and microreticulate exine. The pollen data confirmed Amaranthaceae as a stenopalynous family. On the other hand, the species of Araliaceae studied characteristically present pollen grains apertures that can be used to differentiate them.-
Descrição: dc.descriptionRESUMO Foram investigados os grãos de pólen de duas espécies de Amaranthaceae e três espécies de Araliaceae ocorrentes em fragmentos florestais remanescentes, contribuindo dessa forma com a palinologia, taxonomia e conservação de áreas degradadas. Os grãos de pólen foram acetolisados, medidos, descritos qualitativamente e fotografados sob microscopia de luz e de varredura. Os dados quantitativos foram analisados por estatística descritiva. Os grãos de pólen das espécies de Amaranthaceae são mônades, pequenos, apolares, esféricos, pantoporados com exina metarreticulada. Os das espécies de Araliaceae são mônades, pequenos a médios, isopolares, âmbito subcircular a subtriangular, oblato-esferoidais a subprolatos, 3-colporados, algumas vezes com vestíbulo, endoaberturas lalongadas e exina microrreticulada. Os dados obtidos confirmam o caráter estenopolínico de Amaranthaceae, no entanto as espécies de Araliaceae apresentam características de abertura dos seus grãos de pólen que podem ser usadas para diferenciá-las.-
Formato: dc.format115-125-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherInstituto de Botânica-
Relação: dc.relationHoehnea-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectBrazil-
Palavras-chave: dc.subjectpollen grains-
Palavras-chave: dc.subjectpollen morphology-
Palavras-chave: dc.subjectstenopalynous-
Palavras-chave: dc.subjectBrasil-
Palavras-chave: dc.subjectestenopolínico-
Palavras-chave: dc.subjectgrãos de pólen-
Palavras-chave: dc.subjectmorfologia polínica-
Título: dc.titlePalinologia de Amaranthaceae e Araliaceae nativas em fragmentos florestais remanescentes da região noroeste do Estado de São Paulo-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.