Perfil bioquímico de maracujá sanitizado e submetido ao armazenamento

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorBorguini, Milena Galhardo-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-10T23:36:38Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-10T23:36:38Z-
Data de envio: dc.date.issued2018-09-04-
Data de envio: dc.date.issued2018-09-04-
Data de envio: dc.date.issued2018-06-29-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/155885-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/155885-
Descrição: dc.descriptionCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)-
Descrição: dc.descriptionPós-graduação em Agronomia (Horticultura) - FCA-
Descrição: dc.descriptionO Brasil é o principal produtor mundial de maracujá, sendo a produção destinada a indústria de suco e consumo in natura. A presença de compostos bioativos nos frutos tem despertado interesse em pesquisas por apresentarem propriedades antioxidantes benéficos a saúde, tais como: fenólicos, carotenoides, vitamina C e poliaminas. O objetivo desse trabalho foi avaliar o perfil bioquímico de maracujá amarelo (Passiflora edulis Sims) sanitizado e submetido ao armazenamento. Os frutos foram adquiridos em área de produção comercial na cidade de Presidente Prudente SP. Após colhidos, foram selecionados, higienizados, e submetidos aos tratamentos de sanitização, através da imersão em água da rede de abastecimento público; água clorada; ácido peracético (Tsunami) e água ozonizada e, posteriormente, levados para câmara fria sob temperatura de 10 ±1 °C e 90 ± 2 % UR para armazenamento. As avaliações foram realizadas após a colheita e aos 7, 14, 21 e 28 dias de armazenamento em câmara fria e a cada 3 dias armazenadas em ambiente (14+3, 21+3, 28+3) simulando as condições de comercialização. As análises realizadas foram: perda de massa, pH, sólidos solúveis, acidez total titulável, compostos fenólicos (fenóis e flavonoides), vitamina C, carotenoides, ácido ascórbico e dehidroascórbico, poliaminas e atividade antioxidante pelos métodos FRAP e DPPH. O delineamento experimental foi em parcela subdividida com 4 tratamentos, 9 dias de avaliação e 4 repetições ,sendo a parcela o sanitizante e a sub parcela os dias avaliados. Houve uma tendência de aumento nos compostos bioativos quando utilizada água ozonizada, seguida do tratamento com ácido peracético, água clorada e agua de abastecimento público. Conclui-se que os sanitizantes influenciaram nos teores de compostos bioativos ao longo do tempo de armazenamento refrigerado e simulação de comercialização. Para que haja uma sanitização mais eficaz e obtenção de frutos com maiores teores de compostos bioativos, recomenda-se o uso do tratamento com água ozonizada e que sejam consumidos até os 21 dias de armazenamento.-
Descrição: dc.descriptionBrazil is the world's leading producer of passion fruit, with production destined for the juice and consumer industry in natura. The presence of bioactive compounds in the fruits has aroused interest in research because they have antioxidant properties beneficial to health, such as: phenolics, carotenoids, vitamin C and polyamines. The objective of this study was to evaluate the biochemical profile of yellow passion fruit (Passiflora Edulis Sims) sanitized and submitted to storage. The fruits were purchased in commercial production area in the city of Presidente Prudente SP. After being harvested, they were selected, sanitized, and submitted to sanitization treatments, by immersing them in water from the public supply network; chlorinated water; (Tsunami) and ozonated water and then taken to a cold room at a temperature of 10 ± 1 ° C and 90 ± 2% RH for storage. The evaluations were performed after harvest and at 7, 14, 21 and 28 days of storage in a cold room and every 3 days stored in the environment (14+3, 21+3, 28+3) simulating the conditions of commercialization. The analyzes were: loss of mass, pH, soluble solids, titratable total acidity, phenolic compounds (phenols and flavonoids), vitamin C, carotenoids, ascorbic and dehydroascorbic acid, polyamines and antioxidant activity by FRAP and DPPH methods. The experimental design was subdivided into 4 treatments, 9 days of evaluation and 4 replicates, with the plot being the sanitizing agent and the subplotting the evaluated days. There was a tendency for bioactive compounds to increase when ozonated water was used, followed by treatment with peracetic acid, chlorinated water and public water supply. It was concluded that the sanitizers influenced the contents of bioactive compounds during the time of refrigerated storage and simulation of commercialization. In order to achieve a more efficient sanitization and fruiting with higher contents of bioactive compounds, it is recommended to use ozonated water treatment and consumed up to 21 days of storage.-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectAtividade antioxidante. Passiflora edulis Sims. Compostos bioativos. Sanitização.-
Título: dc.titlePerfil bioquímico de maracujá sanitizado e submetido ao armazenamento-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.