“Não deficientize minha sexualidade”: repensando a sexualidade de pessoas com deficiência intelectual por meio de oficinas pedagógicas

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorSchiavon, Denise Maria Nepomuceno-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-10T23:28:45Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-10T23:28:45Z-
Data de envio: dc.date.issued2018-04-12-
Data de envio: dc.date.issued2018-04-12-
Data de envio: dc.date.issued2018-02-08-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/153511-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/153511-
Descrição: dc.descriptionPós-graduação em Educação Sexual - FCLAR-
Descrição: dc.descriptionA manifestação da sexualidade deve ser entendida como um processo inerente ao ser humano e expressa em cada fase do desenvolvimento de maneira natural e ampla. A sexualidade está presente em todos os ciclos da vida, independentemente de padrões de normalidade e de necessidades especiais, sejam estas físicas, mentais ou sociais. De acordo com a literatura pesquisada a sexualidade da pessoa com deficiência é vista pelos educadores, em algumas pesquisas, como “exibicionista” ou “exagerada”, enquanto os pais, via de regra, encaram seus filhos como “sexualmente infantis” ou assexuados. Essa perspectiva ocorre devido a falta de informação, inclusive por parte dos pais e o estigma vivenciado por eles e seus filhos com deficiência. Esta pesquisa teve por objetivo principal investigar o que expressam os jovens com deficiência intelectual sobre sexualidade e de que forma eles a vivenciam e aprendem temas em educação sexual. Para tanto, esta pesquisa de natureza qualitativa utilizou oficinas pedagógicas como forma de aquisição de dados para análise. Participaram desta pesquisa 6 jovens entre 15 e 31 anos, com o diagnóstico de deficiência intelectual, matriculados em uma instituição especial de uma cidade de porte médio do interior do Estado de São Paulo. Foram realizadas 3 oficinas com o grupo, solicitando aos participantes que relatassem e desenhassem seu entendimento sobre o vídeo “Minha Vida de João”. As temáticas ressaltadas pelos participantes durante as oficinas foram violência doméstica, primeira relação sexual, papeis de gênero e doenças sexualmente transmissíveis. A educação sexual dessas pessoas é limitada e mesmo com dificuldades para solucionar problemas, eles tem dificuldade de se expressar, fruto da própria condição de deficiência.Todos os participantes compreenderam as temáticas do filme e através de seus desenhos e falas, conseguiram expressar o que vivenciam ou compreendem por sexualidade.-
Descrição: dc.descriptionThe manifestation of sexuality must be understood as an inherent process to the human being and expressed in each stage of development in a natural and broad way. Sexuality is present in all cycles of life, regardless of normality patterns and special needs, whether physical, mental or social. According to the researched literature, the sexuality of the person with disabilities is seen by educators in some surveys as "exhibitionist" or "exaggerated", while parents as a rule view their children as "sexually childish" or asexual. This perspective occurs due to lack of information, including from the parents and the stigma experienced by them and their children with disabilities. The main objective of this research was to investigate what young people with intellectual disabilities have to say about sexuality and how they experience it and learn about sex education. For this, this qualitative research used pedagogical workshops as a way of data acquisition for analysis. Sixteen 15- to 31-year-olds with a diagnosis of intellectual disability were enrolled in a special institution of a medium-sized city in the interior of the State of São Paulo. Three workshops were held with the group, asking the participants to report and draw their understanding of the video "Minha Vida de João". The themes highlighted by the participants during the workshops were domestic violence, first sexual intercourse, gender roles and sexually transmitted diseases. The sexual education of these people is limited and even with difficulties to solve problems, they have difficulty expressing themselves, due to the condition of disability. All the participants understood the themes of the film and through their drawings and speeches, they were able to express what they experience or understand by sexuality.-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectSexualidade do deficiente intelectual-
Palavras-chave: dc.subjectDeficiência intelectual-
Palavras-chave: dc.subjectEducação sexual para jovens-
Palavras-chave: dc.subjectOficina pedagógica-
Título: dc.title“Não deficientize minha sexualidade”: repensando a sexualidade de pessoas com deficiência intelectual por meio de oficinas pedagógicas-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.