Sou porque sinto: um estudo histórico-cultural sobre identidades profissionais e emoções na formação inicial de professores de inglês

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorRamos, Fabiano Silvestre-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-10T23:28:25Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-10T23:28:25Z-
Data de envio: dc.date.issued2018-04-06-
Data de envio: dc.date.issued2018-04-06-
Data de envio: dc.date.issued2018-03-07-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/153419-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/153419-
Descrição: dc.descriptionCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)-
Descrição: dc.description88881.135135/2016-01-
Descrição: dc.descriptionPós-graduação em Estudos Linguísticos - IBILCE-
Descrição: dc.descriptionO presente trabalho teve por objetivo estudar a inter-relação entre as emoções vivenciadas por professoras de língua inglesa em formação inicial e o processo de (re)construção de identidades profissionais. Para tanto, busco na teoria históricocultural (JOHNSON, 2009; JOHNSON e GOLOMBEK, 2011; JOHNSON e GOLOMBEK, 2016), baseada nos estudos de Vigotski e da Psicologia HistóricoCultural (VIGOTSKI, 2007, 2009, 2010; RATNER, 1995), fundamentos para explicar os fenômenos sob investigação. Emoções, portanto, são compreendidas como funções psicológicas superiores que têm influência direta na prática do sujeito historicamente situado (VIGOTSKI, 2004; 2010; TOASSA, 2009, 2011). Identidades, sob esse viés, é um conceito definido como papeis desempenhados pelo sujeito em um contexto sociocultural. São construídas no processo de interação social, por meio da mediação da linguagem e processos cognitivos (GOFFMAN, 1985; CIAMPA, 1984, 1998, 2007; De COSTA, 2017; BARKHUIZEN, 2017; LEIBOWITZ, 2017). A pesquisa foi realizada no contexto de um projeto de extensão de ensino de línguas estrangeiras, com duas professoras de língua inglesa em formação inicial. Os dados foram gerados e coletados durante dois semestres letivos por intermédio de narrativas de experiência, entrevistas orais para geração de história de vida, observação e gravação de aulas, sessões de visionamento e entrevista sobre emoções (CLARÀ, 2015). A análise dos dados sugere uma inter-relação de natureza recíproca entre as emoções vivenciadas pelas participantes e as identidades profissionais construídas e negociadas em sua prática pedagógica. As emoções atuam como mediação entre o profissional e sua ação, fator essencial para a construção de uma identidade. Revelam ainda uma gama de emoções vivenciadas que provocam diferentes reações nas participantes, não podendo, assim, classificá-las como negativas ou positivas. Por fim, ressalta-se a necessidade de um trabalho no sentido de promoção de um letramento emocional nos cursos de formação de professores de língua inglesa, para que os futuros profissionais tenham a habilidade para lidar com suas próprias emoções e as de seus estudantes.-
Descrição: dc.descriptionThe present study aimed at investigating the interrelationship between the emotions experienced by English language teachers in initial education and the process of (re) construction of professional identities. To achieve this goal, I analyzed the phenomena under a historical-cultural lens (JOHNSON, 2009; JOHNSON e GOLOMBEK, 2011; JOHNSON e GOLOMBEK, 2016), based on the studies of Vigotski and the Historical-Cultural Psychology (VIGOTSKI, 2007, 2009, 2010; RATNER, 1995). Emotions, therefore, are understood as higher psychological functions that have a direct influence on the practice of the historically situated subject (VIGOTSKI, 2004; 2010; TOASSA, 2009, 2011). Identities, under this bias, is a concept defined as roles played by the subject in a sociocultural context. They are constructed in the process of social interaction, through the mediation of language and cognitive processes (GOFFMAN, 1985; CIAMPA, 1984, 1998, 2007; De COSTA, 2017; BARKHUIZEN, 2017; LEIBOWITZ, 2017). The research was carried out in the context of an extension project on foreign language teaching, with two English language teachers in the process of initial education. The data were generated and collected during two academic semesters by means of the use of narratives of experience, oral interviews for generation of life history, observation and class recordings, viewing sessions and interview about emotions (CLARÀ, 2015). Data analysis suggests a reciprocal interrelationship between the emotions experienced by the participants and the professional identities built and negotiated in their pedagogical practice. Emotions act as mediation between the professionals and their actions, an essential factor for the construction of identities. It also reveals a range of emotions experienced that provoke different reactions in the participants. Thus, they cannot, therefore, be classified into a negative or positive spectrum. Finally, it shows a need for actions to promote emotional literacy in English-language teacher education courses, so that future professionals have the ability to deal with their own emotions and those of their students.-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectEmoções-
Palavras-chave: dc.subjectIdentidades-
Palavras-chave: dc.subjectFormação de professores de língua inglesa-
Palavras-chave: dc.subjectTeoria histórico-cultural-
Palavras-chave: dc.subjectEmotions-
Palavras-chave: dc.subjectIdentities-
Palavras-chave: dc.subjectEnglish language teacher education-
Palavras-chave: dc.subjectHistorical-cultural theory-
Título: dc.titleSou porque sinto: um estudo histórico-cultural sobre identidades profissionais e emoções na formação inicial de professores de inglês-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.