Ciclismo urbano: a perspectiva de cicloativistas da cidade de São Paulo

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorTroncoso, Leandro Dri Manfiolete-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-10T23:18:47Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-10T23:18:47Z-
Data de envio: dc.date.issued2017-05-05-
Data de envio: dc.date.issued2017-05-05-
Data de envio: dc.date.issued2017-02-17-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/150563-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/150563-
Descrição: dc.descriptionCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)-
Descrição: dc.descriptionPós-graduação em Ciências da Motricidade - IBRC-
Descrição: dc.descriptionO objetivo desta pesquisa foi compreender a prática social do ciclismo na perspectiva de cicloativistas da cidade de São Paulo. O ato de pedalar bicicleta é uma forma de mobilidade ativa pelas pessoas, porém, entendendo “ciclismo urbano” diferente de “ciclismo desportivo”, a bicicleta não tem sido estimada como bem simbólico pela sociedade. O principal argumento está dado na valorização excessiva do transporte motorizado individual. No contexto da pesquisa qualitativa em Motricidade Humana importa incluir a minha experiência como pesquisador e de quatro ciclistas que defendem a causa cicloativista. A técnica de análise do fenômeno situado consiste em três momentos: 1) análise ideográfica dos discursos para identificação das unidades de significado; 2) formação da matriz nomotética pelas convergências discursivas e 3) síntese dos resultados. A discussão sobre o fenômeno contextualizado do ciclismo perpassa por duas categorias temáticas: A) “A experiência transformativa do ser que pedala” e B) “O direito de pedalar na cidade”. Destaca-se a ideia “Pedalar por Cidadania” como elemento do campo simbólico da saúde.-
Descrição: dc.descriptionThe aim of this research was to understand the social practice of bicycling in the perspective of cyclists in the city of São Paulo. The act of bicycling is a form of active mobility by people. However, understanding "urban cycling" other than "sporting cycling", the bicycle has not been considered as a symbolic good by society. The main argument given in the excessive valuation of individual motorized transport. In the context of the qualitative research in Human Motricity is important to include my experience as a researcher and of four cyclists who defend the cycloativist cause. The technique of analysis of the situated phenomenon consists of three moments: 1) ideographic analysis of discourses to identify the units of meaning, 2) formation of the nomothetic matrix by the discursive and 3) synthesis of the results. The discussion about the contextualized phenomenon of cycling runs through two thematic categories: A) "The transformative experience of the pedaling being" and B) "The right to pedal in the city". It stands out the idea "Pedaling for Cityzenship" as an element of the symbolic field of health.-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectCiclismo-
Palavras-chave: dc.subjectMotricidade humana-
Palavras-chave: dc.subjectCidadania-
Palavras-chave: dc.subjectMobilidade-
Palavras-chave: dc.subjectSaúde coletiva-
Título: dc.titleCiclismo urbano: a perspectiva de cicloativistas da cidade de São Paulo-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.