Do debate entre Florestan Fernandes e Guerreiro Ramos acerca da sociologia no Brasil: uma análise dos compêndios de sociologia na década de 1930

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorSantos, Eder Fernando dos-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-10T23:16:54Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-10T23:16:54Z-
Data de envio: dc.date.issued2017-03-23-
Data de envio: dc.date.issued2017-03-23-
Data de envio: dc.date.issued2017-02-23-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/149897-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/149897-
Descrição: dc.descriptionCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)-
Descrição: dc.descriptionPós-graduação em Ciências Sociais - FFC-
Descrição: dc.descriptionNossa dissertação apresentará as análises dos manuais de sociologia dos anos de 1930, dos autores Delgado de Carvalho e Fernando de Azevedo. Para atingir nossos objetivos, fizemos um panorama sobre a longa jornada da disciplina no Brasil até sua institucionalização, em seguida demos destaque à contenda entre Guerreiro Ramos e Florestan Fernandes. Nossa análise inicia-se da crítica estabelecida por Guerreiro Ramos à Florestan Fernandes, no debate do I Congresso Brasileiro de Sociologia, em 1954. A hipótese de Ramos se baseou na perspectiva da possível influência de correntes sociológicas europeia e norte americana nesses manuais e salientou que a sociologia brasileira deveria abandonar o caráter tradicionalista. Ramos alegou que havia vícios nos métodos da sociologia estrangeira, uma vez implantadas no Brasil. Dessa forma, o terceiro capítulo está destinado as análises desses manuais, para isso apoiamos em uma vasta bibliografia de autores que se debruçaram sobre o assunto. Portanto, coube a nós verificar em que medida a crítica feita por Ramos referente a influência da sociologia estrangeira, se configurava nos compêndios da década de 1930.-
Descrição: dc.descriptionOur dissertation introduce the analysis of sociology handbooks in the years of 1930, the authors Delgado de Carvalho and Fernando Azevedo. For achive our goals, we made a panoramic about the long journey of discipline in Brazil until institucionalization,thereafter we prominence(highlight) quarrel bethween Guerreiro Ramos and Florestan Fernandes. Our analysis begin of critique in I Sociology Brazilian Congress, in 1954. Ramos´s hyphotesis is basead in a possible influence of schackles european sociology and north american in handbooks and highlight that brazilian sociology should leave the tradicional nature. Ramos,claims that was the vice in foreigner sociology methodology ,once implated in Brazil. In this way, the third chapter be dedicated to analysis these handbooks. For this ,we support in a vast bibliography of the authors that lean over about the subject. Therefore,we will verificated the critical of Ramos made about the influence of Foreigner sociology in deacade of 1930.-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectSociologia brasileira-
Palavras-chave: dc.subjectManuais de sociologia-
Palavras-chave: dc.subjectFlorestan Fernandes-
Palavras-chave: dc.subjectAlberto Guerreiro Ramos-
Palavras-chave: dc.subjectFernando de Azevedo-
Título: dc.titleDo debate entre Florestan Fernandes e Guerreiro Ramos acerca da sociologia no Brasil: uma análise dos compêndios de sociologia na década de 1930-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.