Avaliação in vitro da adesão microbiana em diferentes rugosidades de superfície de resina acrílica específica para prótese ocular

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorSousa, Cecília Alves de-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-10T23:16:22Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-10T23:16:22Z-
Data de envio: dc.date.issued2017-03-14-
Data de envio: dc.date.issued2017-03-14-
Data de envio: dc.date.issued2015-09-22-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/149673-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://www.athena.biblioteca.unesp.br/exlibris/bd/capelo/2017-01-31/000867661.pdf-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/149673-
Descrição: dc.descriptionThe aim of this study was to analyze the acrylic resin surface roughness for ocular prosthesis subjected to polishing with different granulation sandpapers and evaluate the effect of different polishing levels in adhesion and biofilm formation of different microorganisms (S. epidermidis, S. aureus, E. faecalis and C. albicans), on the surfaces of the acrylic resin for ocular prostheses. For this, a total of 432 samples of acrylic resin was divided into 6 groups according to the polishing (Group 1: granulating 1200 + silica solution, Group 2: Granulation 1200, Group 3: Granulation 800, Group 4: granulation 400, Group 5: granulation 120 and Group 6: unpolished). The surface roughness was measured by a profilometer and Atomic Force Microscopy. The microbial growth on samples surfaces were analyzed after 4, 24 and 48 hours of incubation. Data were submitted to statistical analysis. The results showed that the groups with higher mean values of roughness were 120 and 400. To S. epidermidis, all groups differed from the control after 4 and 48 hours. The 1200S group differed from the negative control at all periods and presneted the lowest values of bacterial growth after 24 and 48 h of growth. For S. aureus, only the 1200S group showed the lowest values of bacterial growth, with a significant difference from the negative control. For E. faecalis, all groups differed from negative control but not with each other, except 400. C. albicans did not adhere to the surfaces of acrylic resin. It is concluded that the different surface roughness did not statistically interfere with adhesion and microbial growth on the samples surfaces, except the 1200S group for the bacteria species-
Descrição: dc.descriptionO propósito deste estudo foi analisar a rugosidade de superfície de resina acrílica para prótese ocular submetida a polimento com lixas de diferentes granulações e avaliar a interferência dos diferentes níveis de polimento na adesão e formação de biofilme de diferentes microrganismos (S. epidermidis, S. aureus, C. albicans e E. faecalis), nas superfícies da resina acrílica para prótese ocular. Para isso, foram confeccionados 432 corpos de prova distribuídos em 6 grupos de acordo com o polimento (Grupo 1: granulação 1200 + solução sílica, Grupo 2: granulação 1200, Grupo 3: granulação 800, Grupo 4: granulação 400, Grupo 5: granulação 120 e Grupo 6:sem polimento). A rugosidade foi avaliada por meio de um perfilômetro e Microscopia de Força Atômica. O crescimento microbiano nas superfícies dos corpos de prova foi analisado nos períodos de 4, 24 e 48 horas de incubação. Os dados obtidos foram então submetidos à análise estatística. Os resultados demonstraram que os grupos que apresentaram maiores valores médios de rugosidade foram 120 e 400. Para S. epidermidis, todos os grupos diferiram do controle nos tempos 4 e 48h. O grupo 1200S diferiu do controle negativo (meio de cultura BHI puro) em todos os tempos e teve os menores valores de crescimento bacteriano, após 24 e 48h de crescimento. Para S. aureus, somente o grupo 1200S apresentou os menores valores de crescimento bacteriano, com diferença significante em relação ao controle negativo. Para E. faecalis, todos os grupos diferiram do controle, mas não entre si, exceto 400. C. albicans não aderiu às superfícies da resina acrílica. Conclui-se que as diferentes rugosidades não interferiram estatisticamente na adesão e crescimento microbiano nas superfícies dos corpos de prova, exceto o grupo 1200S em relação às espécies de bactérias-
Formato: dc.format42 f.-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectAspereza de superfície-
Palavras-chave: dc.subjectResinas acrílicas-
Palavras-chave: dc.subjectOlhos artificiais-
Palavras-chave: dc.subjectSurface roughness-
Título: dc.titleAvaliação in vitro da adesão microbiana em diferentes rugosidades de superfície de resina acrílica específica para prótese ocular-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.