Formação e atitude dos professores de educação infantil sobre violência familiar contra criança

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorCosta, Adriana Alves-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-10T23:15:48Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-10T23:15:48Z-
Data de envio: dc.date.issued2017-03-14-
Data de envio: dc.date.issued2017-03-14-
Data de envio: dc.date.issued2012-09-04-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/149446-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://www.athena.biblioteca.unesp.br/exlibris/bd/capelo/2017-01-27/000855464.pdf-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/149446-
Descrição: dc.descriptionViolence against children is pointed like one of the main causes of morbidity and mortality in childhood and should be identified by all professionals who deal with this public, including teachers. The aim was to evaluate training and attitude of infantile education teachers, whit regard to violence against children. All the child educational institutions in Araçatuba-City, SP, Brazil were visited. The professionals who consented (n=236), answered a questionnaire about that theme. The data was analyzed on the quantitative and qualitative. 91.1% of professionals considered themselves responsible for notification and 86.9% feel themselves able to identify attacks. 80.9% had received information about violence against children; however, 67.7% feel insecure about the identification of cases. It was concluded that the most of professionals still don't feel themselves prepared to face violence, even having an early training and this can generate negligence-
Descrição: dc.descriptionA violência contra crianças é apontada como uma das principais causas de morbi-mortalidade na infância e deve ser identificada por todos os profissionais que lidam com esse público, inclusive os professores. Objetivou-se avaliar a formação e atitude dos professores de educação infantil, no que se refere à violência contra criança. Foram visitadas todas as instituições de ensino infantil de Araçatuba-SP, e os profissionais que consentiram (n=236), os quais responderam a um questionário sobre o tema. Os dados foram analisados quantiqualitativamente. 91,1% se consideram responsáveis pela notificação e 86,9% se dizem capazes de identificar agressões. 80,9% declararam ter recebido informações a respeito da violência contra criança, entretanto, 67,7% sentem-se inseguros quanto à identificação dos casos. Conclui-se que, mesmo possuindo formação para proceder ante a violência, a maioria dos pesquisados ainda não se sente preparada, o que pode gerar negligência-
Formato: dc.format26 f.-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectViolência familiar-
Palavras-chave: dc.subjectEducação de crianças-
Palavras-chave: dc.subjectProfessores - Formação-
Palavras-chave: dc.subjectFamily violence-
Título: dc.titleFormação e atitude dos professores de educação infantil sobre violência familiar contra criança-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.