Verificação do risco de desenvolvimento da úlcera de pressão em idosos, pela escala de braden

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorPires, Lunara Maria Tachotti-
Autor(es): dc.creatorConverso, Maria Estelita Rojas-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-10T22:57:48Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-10T22:57:48Z-
Data de envio: dc.date.issued2016-09-01-
Data de envio: dc.date.issued2016-09-01-
Data de envio: dc.date.issued2005-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://www.unesp.br/proex/programas/pcct_3congresso.php-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/143649-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/143649-
Descrição: dc.descriptionA úlcera de pressão (UP) é uma lesão produzida por uma pressão constante sobre uma área de proeminência óssea, diminuindo o fluxo sangüíneo dessa região o que resulta em danos dos tecidos subjacentes. A UP pode ser causada tanto por fatores intrínsecos (estado nutricional, idade, uso de medicamentos, perfusão tecidual e doenças crônicas), quanto extrínsecos (pressão, cisalhamento, fricção e umidade). Existem diversas escalas para avaliar o risco de formação da UP, a utilizada no presente trabalho foi a Escala de Braden. Ela é composta de seis subescalas: percepção sensorial, umidade, atividade, mobilidade, nutrição, fricção e cisalhamento, ela utiliza dois determinantes clínicos críticos: a duração e a intensidade da pressão, e a tolerância do tecido à pressão. A pontuação varia de 6 a 23 e determina os níveis de risco, que são: alto risco (6 a 10), risco moderado (11 a 15) e pequeno risco (16 a 23). Como a UP é uma lesão de difícil recuperação e que demanda um longo tempo e custo elevado para sua cura, alem de comprometer a qualidade de vida do paciente, os hospitais devem trabalhar no sentido de prevenir o seu aparecimento. verificar o nível de risco apresentado pelos idosos internados em uma Entidade de Longa Permanência no ano de 2005, para o desenvolvimento de UP. foi aplicada, pela aluna, a Escala de Braden em todos os idosos internados na Ala de Tratamento Especial do Hospital Psiquiátrico Espírita Bezerra de Menezes, no ano de 2005. foram avaliados 55 pacientes, 22 mulheres e 33 homens, com idade entre 60 e 98 anos. Os resultados demonstraram que 16,36% dos pacientes apresentam risco moderado, 83,63% pequeno risco e nenhum paciente apresentou alto risco para seu desenvolvimento. Na avaliação apenas 5,45% dos pacientes apresentaram UP. Os itens que apresentaram maior incidência foi a umidade e a nutrição, sendo que 100% dos pacientes obtiveram 3 pontos na nutrição e 88,8% obtiveram 3 pontos no item umidade. De acordo com os problemas detectados durante a aplicação da escala está sendo realizada uma intervenção visando a prevenção no surgimento da UP. Em relação à umidade foi orientado a enfermagem um maior rigor na troca de roupas dos pacientes, e um programa de exercícios duas vezes por semana foi organizado aos pacientes com pequeno risco, com intuito de melhorar sua mobilidade. Conclusão: concluiu-se que os cuidados 7adotados pelo hospital estão dentro dos padrões, pois 83,63% dos pacientes apresentaram pequeno risco para o desenvolvimento das UP, e apenas 5,45% dos pacientes possuíam UP, porcentagem bem abaixo dos dados bibliográficos encontrados. Após um ano de intervenção será reaplicada a Escala de Braden com a finalidade de verificar a eficácia da mesma.-
Formato: dc.format238-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Relação: dc.relationCongresso de Extensão Universitária-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Título: dc.titleVerificação do risco de desenvolvimento da úlcera de pressão em idosos, pela escala de braden-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.