Masculinidades e violências em narrativas de vida de jovens em conflito com a lei

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorAndrêo, Caio-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-10T21:50:20Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-10T21:50:20Z-
Data de envio: dc.date.issued2015-05-14-
Data de envio: dc.date.issued2015-05-14-
Data de envio: dc.date.issued2014-12-18-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/123132-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://www.athena.biblioteca.unesp.br/exlibris/bd/cathedra/29-04-2015/000825122.pdf-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/123132-
Descrição: dc.descriptionPós-graduação em Psicologia - FCLAS-
Descrição: dc.descriptionThe current protagonism of male gender youths in violent acts have been verified in several studies and appointments that lead them as the main victms and authors of such acts, especially at the underprivileged sections of society. Although this data is not apparently surprising the relation between masculinity and violence has not been focused and, therefore, still be naturalized limiting all discussions concerning this issue. In this way, this survey aims at describing the construction process of masculinities and its interface with violence, taking into account narratives from youths who had commited an offense. For this, we interviewed four teenagers (aged varied from 14 to 16 years old) who had been sent or had already spent time at a young offenders’ institution, located in a city in the countryside of São Paulo State. Their narratives took between thirty to sixty minutes and were recorded and then transcribed. The analises were conducted based on the narrative conceptions of Mikhail Bakhtin, Jerome Bruner and other authors who highlight, from a dialogic perspective, narrative productions as sources of discourses which uncover subjetivation processes as well as in studies about masculinities. The results suggest that the relation between masculinities and violence is more of a belief than a fait accompli. In spite of being extremely exposed to violence and its variations, and performing a certain expected way to be man, based on strength, aggressiveness and rationality all over their lives, the narratives pointed out other modes of subjetivation not necessarily connected to being violent, despite of this notion still be present in their discourses about life, the others and himself-
Descrição: dc.descriptionO atual protagonismo de jovens do gênero masculino em atos violentos tem sido verificado em diversos estudos e levantamentos que indicam esses sujeitos como principais vítimas e autores de tais atos; sobretudo, nas camadas mais excluídas da população. Embora esses dados não demonstrem nenhuma novidade aparente, a relação entre masculinidades e a violência ainda é pouco problematizada e consequentemente permanece naturalizada, fazendo com que as discussões em torno dos aspectos que podem estar envolvidos nessa relação sejam limitadas. Desse modo, esta pesquisa tem como objetivo descrever o processo de construção de masculinidades e suas interfaces com a violência, com base em narrativas de vida de jovens do gênero masculino, autores de atos infracionais. Para isso, foram entrevistados quatro jovens com idades entre 16 e 18 anos que cumpriam ou já haviam cumprido medidas socioeducativas dentro de uma instituição socioassistencial localizada num município do interior do estado de São Paulo. As entrevistas narrativas, com duração em média entre 30 e 60 minutos, foram gravadas em áudio e posteriormente transcritas. As análises foram feitas com base na concepção de narrativa de Mikhail Bakhtin e Jerome Bruner, e em outros autores que destacam, dentro de uma perspectiva dialógica, as produções narrativas como fontes de discursos capazes de desvelar processos de subjetivação; outro parâmetro analítico foram os estudos sobre masculinidades. Com isso, os resultados sugerem que a relação entre masculinidades e violência se faz presente mais enquanto uma crença do que um fato realmente consumado. Apesar da intensa convivência com a violência, em suas diversas facetas, e com o lugar de um determinado modo de ser homem, baseado na força, na agressividade e na racionalidade, ao longo de suas vidas, as narrativas puderam apontar outros modos de subjetivação que não se conectam...-
Formato: dc.format156 f.-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectPsicologia social-
Palavras-chave: dc.subjectJuventude e violência-
Palavras-chave: dc.subjectMasculinidade-
Palavras-chave: dc.subjectSubjetividade-
Palavras-chave: dc.subjectAutobiografia-
Palavras-chave: dc.subjectJovens-
Palavras-chave: dc.subjectYouth and violence-
Título: dc.titleMasculinidades e violências em narrativas de vida de jovens em conflito com a lei-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.