Estudo do reservatório de coquinas do grupo Lagoa Feia (Eocretáceo) na acumulação de Linguado, sudoeste da Bacia de Campos

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorPorfírio, Letícia Ludimila Pereira-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-10T21:42:51Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-10T21:42:51Z-
Data de envio: dc.date.issued2015-03-23-
Data de envio: dc.date.issued2015-03-23-
Data de envio: dc.date.issued2009-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/120641-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/120641-
Descrição: dc.descriptionThe Linguado Field is located in the extreme southwest portion of Campos Basin. It’s associated with Structural Badejo High and can be divided in two groups of faults: one manly formed by antithetic faults, with NW-SE direction, continuous to Badejo Fault, and another identified by N-S faults. Besides these faults had affected the basement and the stratification of basin, these systems also had contributed to coquina permoporosity development, that show 80% of recoverable oil volume of the field. The carbonate marine sequence, Albian age, it was deposited under the salt. This forms structures as like as pillows and raft as a result of the halocinese. Structurally the Linguado Field coquina has monoclinal direction with east dip, it’s cut by faults with slip up to 50 meters. In addition to structural control, stratigraphy and diagenesis also were important to carbonate trap oil. The identification of recoverable oil levels in the low phase of the coquina from Lagoa Feia Group was done by well data. The seismic 2D and 3D, with the well data, was used to structural interpretation to regional scale either to reservoir scale.-
Descrição: dc.descriptionO campo de Linguado está localizado no extremo sudoeste da Bacia de Campos. Está associado ao Alto Estrutural de Badejo e pode ser dividido em dois grandes sistemas de falhas: um composto essencialmente por falhas antitéticas, com direção NW-SE, contínuas ao falhamento de Badejo, e outro identificado por falhas com orientação N-S. Além de terem afetado o embasamento e o empilhamento da bacia, estes sistemas também contribuíram para o desenvolvimento da permoporosidade nas coquinas, que contém 80% do volume de óleo recuperável do campo. A sequência marinha carbonática, de idade Aptiana, na qual estão situadas as coquinas do Grupo Lagoa Feia, foi sedimentada sob a camada de sal. O evaporito forma estruturas do tipo casco de tartaruga e jangadas (rafts) que são resultados da atuação halocinética. Estruturalmente a coquina no campo de Linguado tem feição monoclinal com mergulho para leste, seccionada por falhas com rejeito de até 50 metros. Além do controle estrutural, a estratigrafia e a diagênese também são influentes no trapeamento do óleo no carbonato. Em posse dos dados de perfilagem de poço foi realizada uma análise da porosidade da coquina inferior do Grupo Lagoa Feia para a identificação de níveis com óleo recuperável. Os dados de sísmica 2D e 3D, junto aos perfis, foram utilizados para a interpretação estrutural tanto em escala regional quanto em escala de reservatório.-
Formato: dc.format40 f.-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectPetroleo - Geologia-
Palavras-chave: dc.subjectPermoporosidade-
Palavras-chave: dc.subjectCoquina inferior-
Palavras-chave: dc.subjectLinguado field-
Palavras-chave: dc.subjectLower phase of the coquina-
Título: dc.titleEstudo do reservatório de coquinas do grupo Lagoa Feia (Eocretáceo) na acumulação de Linguado, sudoeste da Bacia de Campos-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.