O ensino da filosofia no Brasil: uma arqueogenealogia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorSanabria de Aleluia, José Roberto-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-10T21:10:29Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-10T21:10:29Z-
Data de envio: dc.date.issued2014-11-10-
Data de envio: dc.date.issued2014-11-10-
Data de envio: dc.date.issued2014-02-18-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/110474-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/110474-
Descrição: dc.descriptionFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)-
Descrição: dc.descriptionPós-graduação em Educação - FFC-
Descrição: dc.descriptionThe presented research in this paper aims to understand the discursive constitution of teaching philosophy in Brazil. By mapping and analysis of discontinuities and discursive regularities that preceded the founding of the Faculty of Philosophy, Sciences and Letters of the University of São Paulo, it tries to show what were the conditions that allowed the emergence of a discursive order of teaching philosophy and how such speech produced the image of the illustrated elite philosopher at the University of São Paulo in 1936. Therefore, we investigated the constitution of the subjectivity ways existing between the late nineteenth century to the early twentieth century through the archeology-genealogical methodological procedure. To reach these goals we underline the main concepts developed by Michel Foucault in the archeological and genealogical journey to understand the discursive order that sustained enunciation University of Sao Paulo. We observe that such order provided the existence conditions for the illustrated elite philosopher teaching that governed by the history of philosophy method would be able to philosophize in his meditations or by critics today, aiming to find the general principles governing the multiplicity of things. In this same order, we understand that the professor of philosophy would assume two roles, the first most distinguished, for it was characterized as Philosophy itself, as practiced criticism of the present through the history of philosophy .But, also considered a teacher - commentator, to the extent that argued for their students on the key concepts and historical characteristic of classical authors .The results obtained indicated that the desire to form elite illustrated philosophers inspired by the doctrine of wisdom that would be the reason lawmakers did not occur, but it served the interests of the ruling classes in the silencing and exclusion, preventing the emergence of other forms of philosophical life.-
Descrição: dc.descriptionA pesquisa apresentada nesta dissertação teve o objetivo de compreender a constituição discursiva do ensino da Filosofia no Brasil. Por meio do mapeamento e análise das descontinuidades e regularidades discursivas que antecederam a fundação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, buscamos evidenciar quais foram as condições que permitiram a emergência de uma ordem discursiva do ensino da Filosofia e como tal discurso produziu a imagem do filósofo da elite ilustrado na Universidade de São Paulo em 1936. Diante disso, averiguamos a constituição dos modos de subjetivação e objetivação existentes entre o final do século XIX até o começo do século XX através do procedimento metodológico arqueogenealógico. Para alcançar tais finalidades explicitamos as principais noções desenvolvidas por Michel Foucault no percurso arqueológico e genealógico a fim de entender a ordem discursiva que sustentava a enunciação Universidade de São Paulo. Observamos que tal ordem forneceu as condições de existência para o ensino do filósofo da elite ilustrado, que disciplinado pelo método da história da filosofia teria a possibilidade de filosofar em suas meditações ou pela crítica da atualidade, objetivando encontrar os princípios gerais que regem a multiplicidade das coisas. Nesta mesma ordem, entendemos que o professor de filosofia assumiria dois papeis, o primeiro mais ilustre, pois fora caracterizado como a própria Filosofia, na medida em que praticava a crítica do presente através da história da Filosofia. Mas, também considerado um professor-comentador, na medida em que argumentava para seus alunos sobre os principais conceitos e característica históricas dos autores clássicos. Os resultados alcançados indicaram que o desejo de formar filósofos da elite ilustrados inspirados pela doutrina da sabedoria que constituiria legisladores da razão não ocorreu, mas serviu aos interesses...-
Formato: dc.format137 f. il.-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectUniversidade de São Paulo Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas-
Palavras-chave: dc.subjectFilosofia – estudo e ensino-
Palavras-chave: dc.subjectArqueologia e historia - Brasil-
Palavras-chave: dc.subjectGenealogia (Filosofia)-
Palavras-chave: dc.subjectTeaching Philosophy-
Título: dc.titleO ensino da filosofia no Brasil: uma arqueogenealogia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.