Osteossíntese minimamente invasiva com placa bloqueada nas fraturas de tíbia em cães

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorRosa-Ballaben, Nátalie Massaro-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-10T21:10:24Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-10T21:10:24Z-
Data de envio: dc.date.issued2014-11-10-
Data de envio: dc.date.issued2014-11-10-
Data de envio: dc.date.issued2014-06-27-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/110436-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/110436-
Descrição: dc.descriptionPós-graduação em Cirurgia Veterinária - FCAV-
Descrição: dc.descriptionAdvances in the comprehension of the bone healing and complications of the treatment of the fractures have been changed some concepts. Less invasive procedures have been advocated. A minimally invasive plate osteosynthesis (MIPO) is one of the best ways to avoid over tissue damage. The aim of this study was to evaluate the use of MIPO in tibial fractures in dogs. Ten dogs presenting a tibial fracture were used. Deambulation, swelling intensity and radiographic changes were evaluated preoperatively, just after the procedure and at 15, 30, 60, 90 e 120 days postoperatively. Six of 10 (60%) dogs were able to walk at 15 days postoperatively with slight swelling and mild lameness. Two of 10 (20%) presented normal walking at the same period. At 30 days postoperatively all dogs were able to walk normally. Six of them were not lame and 9 did not present swelling. Bone healing could be followed by radiographic evaluation. All dog presented initial radiographic signs of bone healing after 15 days postoperatively. Two of 10 showed clinical union at this time. In five of 10 (50%) clinical union could be observed after 60 days. The treatment of tibial fractures by MIPO is an effective alternative resulting in early and effective clinical union and can be performed without the use of image intensifiers-
Descrição: dc.descriptionAvanços na compreensão da biologia óssea e das complicações das fraturas têm levado a modificações na abordagem da fixação interna das mesmas, sendo a osteossíntese minimamente invasiva com placa (MIPO) uma das mais recentes evoluções para o manejo biológico das fraturas. O objetivo do presente estudo foi avaliar o uso de placas bloqueadas aplicadas de forma minimante invasiva em fraturas de tíbia de cães. Foram utilizados 10 cães apresentando fraturas de tíbia, de idades e raças variadas. Os animais foram avaliados quanto a deambulação, intensidade do edema, exames radiográficos, e densitometria óptica nos períodos 0, 15, 30, 60, 90 e 120 dias de pós-operatório. Após 15 dias de pós-operatório 80% dos cães já utilizavam o membro ao caminhar e apresentavam formação de edema leve a ausente no membro operado. Após 30 dias de pós-operatório 100% dos cães já apoiavam o membro ao caminhar e não apresentavam formação de edema no membro. Todos os pacientes apresentaram sinais radiográficos e densitométricos de início de consolidação óssea após 15 dias de pós-operatório. O tratamento de fraturas de tíbia por meio da MIPO é uma alternativa eficaz, resultando em utilização precoce do membro e união clínica efetiva, e pode ser realizada sem uso de intensificadores de imagem-
Formato: dc.formatxv, 62 p. : il.-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectCão-
Palavras-chave: dc.subjectOssos - Cirurgia-
Palavras-chave: dc.subjectFraturas - Fixação interna-
Palavras-chave: dc.subjectCicatrização de feridas-
Palavras-chave: dc.subjectOrtopedia veterinaria-
Palavras-chave: dc.subjectInternal fixation in fractures-
Título: dc.titleOsteossíntese minimamente invasiva com placa bloqueada nas fraturas de tíbia em cães-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.