Adolescência, velocidade e tédio

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorUniversidade Estadual Paulista (UNESP)-
Autor(es): dc.creatorBuchianeri, Luís Guilherme Coelho-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-03-10T21:07:45Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-03-10T21:07:45Z-
Data de envio: dc.date.issued2014-09-03-
Data de envio: dc.date.issued2014-09-03-
Data de envio: dc.date.issued2012-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://hdl.handle.net/11449/109256-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/11449/109256-
Descrição: dc.descriptionLuís Guilherme Coelho Buchianeri propõe, nesta obra, que nos dias atuais a velocidade continua acelerando exponencial e paradoxalmente, mas apenas no mundo externo. No mundo interno, se desacelera, “tendendo a uma paralisia que não promove a angústia estruturante, mas leva à agonia, à sensação de falta de futuro, à necessidade de preenchimento do tempo com conteúdos dados à imediaticidade dos afetos”. Tal busca de concretude, diz, impede a subjetivação do ser humano moderno. A subjetividade, segundo o autor, considerada lenta e imprecisa, está sendo descartada na era da instantaneidade e da satisfação imediata dos desejos, em que a máquina possibilita que tudo se realize em “tempo real”. Assim, se no nascimento da modernidade a velocidade instigava a ação, transformação e rebeldia, hoje, vazia de conteúdos, paralisa e instala nesse espaço um tempo entediante. Nos jovens, principalmente, essa variedade de estímulos decorrentes dessas mutações no espaço e no tempo produziria uma falta de sentido na vida, acompanhada por “um esvaziamento do sujeito, uma sensação subjetiva a que poderíamos denominar tédio”. Paralelamente a esse tema, discutido amplamente neste livro, que leva em conta a realidade de jovens de diversos países, o autor aborda outra questão contemporânea – a da “depressão como figura de subjetivação da atualidade”. Ao analisar conceitos com base em teorias da Psicologia e da Filosofia, ele procura demonstrar que o tédio se sobressai em relação à depressão como a subjetividade típica de um mundo acelerado e volátil-
Idioma: dc.languagept_BR-
Publicador: dc.publisherCultura Acadêmica-
Relação: dc.relationColeção PROPG Digital (UNESP)-
Relação: dc.relationhttp://hdl.handle.net/11449/144819-
Direitos: dc.rightsopenAccess-
Palavras-chave: dc.subjectTedio-
Palavras-chave: dc.subjectPsicologia do adolescente-
Palavras-chave: dc.subjectTrauma psíquico-
Título: dc.titleAdolescência, velocidade e tédio-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:Repositório Institucional - Unesp

Não existem arquivos associados a este item.