Efeitos comportamentais e cognitivos da nicotina e do extrato etanólico de melissa officinalis na sepse experimental

Registro completo de metadados
MetadadosDescriçãoIdioma
Autor(es): dc.contributorFerreira, Vania Maria Moraes-
Autor(es): dc.creatorLeite, Franco Batista-
Data de aceite: dc.date.accessioned2021-10-14T17:25:04Z-
Data de disponibilização: dc.date.available2021-10-14T17:25:04Z-
Data de envio: dc.date.issued2012-05-23-
Data de envio: dc.date.issued2012-05-23-
Data de envio: dc.date.issued2012-05-23-
Data de envio: dc.date.issued2012-02-15-
Fonte completa do material: dc.identifierhttp://repositorio.unb.br/handle/10482/10525-
Fonte: dc.identifier.urihttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/607408-
Descrição: dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde, 2012.-
Descrição: dc.descriptionA sepse é uma das principais causas de morte do mundo em unidades de terapia intensiva. Modelos experimentais de sepse em animais tem sido úteis para entender sua patogênese, em especial no que se refere à deterioração do estado mental. Dessa forma, é possível gerar dados pré-clínicos para o tratamento de algumas das consequências dessa infecção sistêmica Com base nessas informações, o objetivo desta pesquisa foi investigar duas alternativas de tratamento para as respostas comportamentais decorrentes da sepse experimental: ativação colinérgica (nicotina) e medicina natural (Melissa officinalis). Para tal, foram usados ratos Wistar, divididos em dois grupos: Sepse experimental e Operação fictícia, que receberam dose diárias de nicotina (0,1 mg/kg, s.c.) ou extrato etanólico de Melissa officinalis (100 mg/kg, v.o.), uma semana antes e/ou uma semana pós-procedimentos cirúrgicos. Observou-se que a nicotina foi capaz de afetar a locomoção dos animais que sobreviveram à sepse no teste do campo aberto somente quando administrada pós- procedimentos cirúrgicos. Independente do tempo de tratamento, a nicotina aumentou a porcentagem de entradas e o tempo de permanência dos animais nos braços abertos do labirinto em cruz elevado (LCE), comportamento sugestivo de atividade ansiolítica. Quando a nicotina foi administrada durante duas semanas aumentou o tempo de latência dos animais no teste da esquiva inibitória, sugestivo de melhora de memória. Em contrapartida, esses resultados não foram observados nos animais sobreviventes à sepse quando a nicotina foi administrada somente pós-procedimentos cirúrgicos. Na segunda etapa dos experimentos o extrato de Melissa officinalis, da mesma forma que a nicotina, aumentou a porcentagem de entradas e o tempo de permanência dos animais nos braços abertos do LCE, resposta similar ao diazepam, sem afetar a locomoção. No teste da esquiva inibitória, o extrato melhorou a memória de curta e longa duração, fazendo com os animais permanecessem na plataforma por muito mais tempo quando comparados aos controles. De uma forma geral, a ativação colinérgica ou o uso de extrato de Melissa officinalis podem interferir de forma positiva na redução ou bloqueio das alterações comportamentais e cognitivas decorrentes da sepse experimental, ficando uma lacuna para a investigação dos mecanismos reguladores dessas respostas farmacológicas. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT-
Descrição: dc.descriptionSepsis is a major cause of death in the world in intensive care units. Experimental models of sepsis in animals have been useful in understanding its pathogenesis, particularly with regard to the deteriorating mental state. Thus, it is possible to generate preclinical data for the treatment of some of the consequences of systemic infection. Based on this information, the purpose of this study was to investigate two alternative treatments for the behavioral responses resulting from experimental sepsis: cholinergic activation (nicotine) and natural medicine (Melissa officinalis). To achieve this goal, Wistar rats were used divided into two groups: sham operation and experimental sepsis, who received daily doses of nicotine (0.1 mg / kg) or ethanolic extract of Melissa officinalis (100 mg/kg), one week before and/or one week post-surgical procedures. It was observed that nicotine was able to affect the locomotion of sepsis-surviving rats in the open field test only when administered post-surgical procedures. Regardless of treatment time, nicotine increased the percentage of entries and the time spent in the open arms of the EPM test, suggestive of anxiolytic activity. When nicotine was administered during two weeks increased the latency time of animals at the inhibitory avoidance test, suggestive of improvement of memory. However, these results were not observed in sepsis-surviving rats when nicotine was administered only post-surgical procedures. In the second step of the experiments the extract of Melissa officinalis, likewise the nicotine, increased the percentage of entries and time spent in the open arms of the EPM test, a response similar to diazepam without affecting locomotion. In the inhibitory avoidance test, the extract improved short and long-term memories, leading to the animals to remain on the platform much longer when compared to control groups. In general, the cholinergic activation or Melissa officinalis extract dministration may interfere positively in reducing or blocking of behavioral and cognitive disorders resulting from experimental sepsis, leaving a gap for the investigation of regulatory mechanisms of these pharmacological responses.-
Formato: dc.formatapplication/pdf-
Direitos: dc.rightsAcesso Aberto-
Palavras-chave: dc.subjectTerapêutica-
Palavras-chave: dc.subjectAnsiedade-
Palavras-chave: dc.subjectLocomoção humana - memória-
Título: dc.titleEfeitos comportamentais e cognitivos da nicotina e do extrato etanólico de melissa officinalis na sepse experimental-
Tipo de arquivo: dc.typelivro digital-
Aparece nas coleções:UNB

Não existem arquivos associados a este item.